sexta-feira, 7 de setembro de 2007

VELEIRO PIRATA E A INTOLERÂNCIA ALHEIA...


Veleiro Pirata agora! O lado negro da força!!! kkkkkkkkk

Propaganda da internet:

30.000 homens bonitos! Acesse www.homensparavoce.com

Essa foi óóóótima! :D

Atualizando o Veleiro, mas sem muita vontade... Feriado e eu tendo que levantar às 5 da manhã para dar plantão no IMIP. Fruto da intolerância alheia. Estava pagando a falta do dia do enterro de papai. Agora respondam: em que lugar do mundo essa falta não seria justificada? Em que lugar do mundo eu não teria sido dispensada do plantão para ir ao cemitério cumprir uma das mais dolorosas tarefas da minha vida? Lugar nenhum, apenas lá no IMIP, na cabeça doida de Ozanil, coordenadora de Neonatologia. Um dia inteiro perdido, sem fazer bulhufas, conversando água no Centro Obstétrico. E amanhã tenho plantão de novo. E domingo tenho que evoluir aqueles pacientes ictéricos e cancerosos do Otávio de Freitas. Pronto, meu feriado resume-se a isso.

Cansei do Otávio. Os novos residentes de lá são terríveis. 3 são indiferentes à sua presença e o outro presta atenção demais. Ele deve ter a "Síndrome do Pinto Pequeno" de que fala minha madrinha Luciana. Quer se mostrar mais inteligente e poderoso no grito. Tipo "eu sou o residente em cirurgia geral e vocês são os pobres doutorandos que me devem temor e obediência!". Em geral passamos o dia inteiro sem fazer absolutamente nada, apenas porque ele quer que a gente saia de lá às 5 da tarde. Não deve ter mais o que se preocupar na vida, exceto tornar a nossa existência dentro daquele hospital a cada dia mais difícil. Resultado: a próxima será a 7ª semana de um rodízio de 10, e eu não tenho mais a menor paciência...

Não gosto de lidar com adultos com câncer inoperável no pâncreas, estômago, intestino... Pessoas com 30, 40 anos, pais de família, que de repente se vêem com uma doença incurável e fatal. Aquela enfermaria me faz mal. O mesmo não acontece com os plantões de Neo. Adoro ver bebês nascendo. Em geral estão saudáveis, rosados, chorando. A materialização da esperança sendo renovada todos os dias. Gosto muito de bebês. O único problema em fazer Pediatria é passar a vida inteira em plantões...

Quero ser médica (eu acho, mas também agora não vou voltar atrás...), mas não quero viver dormindo fora de casa ou trabalhando 36 horas sem parar num final de semana. Isso tudo é por dinheiro? Pessoas, leiam o depoimento de alguém cujo sonho sempre foi morar na Avenida Boa Viagem: cansei disso, agora eu quero vida social, amigos, família. Defintivamente não quero trabalhar no final de semana, nem à noite, nem nos feriados. E se isso significa ter menos dinheiro, paciência. Casei e estou morando no Chico, tenho 25 anos e não tenho nem carro e nem salário, no momento minha carteira possui 15 reais para passar o resto do mês (que acabou de começar...). A vida é assim. Tenho certeza de que não vou estranhar se o futuro não me reservar grandes mudanças no setor financeiro...

A conversa de hoje no COB era sobre os planos de viagem de uma acadêmica, filha de pais médicos, que pretende ir pela 3ª vez à Disney, depois fazer residência no Canadá (onde já passou 3 meses) e voltar a visitar a Europa. E uma médica mostrando as fotos do aniversário de 1 ano da filhinha, que deve ter sido mais caro que o meu casamento inteiro. E por último a outra médica que não sabia ir de ônibus daqui para Gravatá. Ô, Senhor, tem piedade...

Meu mundo é o de quem tem que acordar às 5 para lavar os pratos que ficaram da janta e estender as roupas lavadas durante à noite, porque não tem empregada em casa pra fazer isso. Depois pega UR-05 via IMIP, almoça uma coxinha com Coca para economizar dinheiro, pega um ônibus com menino cheirando cola pendurado na porta e tem que fazer serviços domésticos novamente quando chega em casa. Não estou dizendo que isso é bonito ou que gosto dessa rotina. Mas meu mundo é esse. E eu quero melhorar de vida, quero ter meu carro, morar numa casa melhor, mas não às custas das minhas noites de sono ou meus domingos na praia. Se for pra ser assim, então fiquemos no Chico, andando de ônibus e almoçando coxinha, eu prefiro.

Muito sono agora. Vou dormir, que amanhã o dia é longo outra vez...


2 comentários:

Renatinha disse...

Voltei ... adoro ler seus posts .. só assim acompanho seu dia-a-dia, já q nossa rotina corrida não nos deixa tempo sobrando para isso né kkkkk. Tô num liseu sem fim ... almoçando coxinha tb para economizar kkkkkkk. Bjus :D

mar disse...

ei dona medica, num reclama tanto nao vai? um caminho dificil mas vai ter bons frutos. paciencia paciencia