quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

DIA DO LIXO


Nesta semana o meu transtorno bipolar auto-diagnosticado está na fase da depressão. Sim, eu curto uma deprê, qual o problema? Tem gente que gosta de tomar cerveja, outros saem pra se divertir em baladas entupidas de gente: eu fico em casa pensando em quão patética é a minha vida. Mas não se preocupem, isso sempre passa, mais cedo ou mais tarde...

Fiz uma prova bem razoável hoje, no rodízio de Pediatria. E bem razoável não era exatamente o que eu esperava daquela prova... Até porque estudei bastante e saí resolvendo todas as questões de Pediatria que encontrei na Internet, para pegar uma prova bem mais fácil que essas questões e errar 4 dos 12 quesitos! Considerando que a prova estava realmente fácil, o que esperar do meu desempenho no concurso do IMIP, na próxima sexta?

Isso vem a confirmar o que eu temia: eu sou uma aluna razoável. E serei uma médica razoável, por conseqüência. E tal constatação não faz bem ao meu ego...

Aí eu fico vendo fotos do álbum de uma amiga que voltou da França. Já viram como todo mundo é feliz no Orkut? Acontece que deve ser bem fácil ser feliz na frente da Torre Eiffel... Quando eu estudava no Colégio e passava em frente ao CCS, ficava pensando comigo mesma: "Um dia vou estudar aí, um dia vou visitar a França, um dia vou deixar de andar de ônibus...". E hoje, indo ao IMIP fazer minha 7ª inscrição em concursos para acadêmicos (dos quais eu só consegui ser aprovada em um...), fiquei olhando as médicas chiques e elegantes e resolvi que não queria pensar que seria igual a elas "um dia". Resolvi que pensar nisso só me faz perceber o quanto minha vida é um eterno "vir a ser", um "vir a ser" que não chega nunca. Aí eu fico aqui esperando que esse tédio passe, que a vida melhore, que haja dinheiro para ajeitar os cabelos, e enquanto isso tudo continua no mesmo de sempre...

Eu tenho direito de fazer esse tipo de declaração no meu Veleiro, sem que as pessoas queiram me dar um banho do Jogo do Contente (porque parece que nessa vida todo mundo tem que engolir sapos e ainda sorrir, senão corre o risco de ser chamada de pessimista!). Tenho o direito porque em 2008 faz 10 anos que eu terminei o 2º grau, e estou absolutamente do mesmo jeito que naquela época: sem dinheiro, andando de ônibus, gorda e com o cabelo parecendo uma vassoura de piaçava. Opa, não é verdade! Não estou exatamente igual a antes: agora estou também casada e doméstica. Uma mudança e tanto!

Dizer a mim mesma que terei cabelo e salário de médica um dia valia quando eu tinha 18 anos: agora tenho 25. Um quarto de século. Um quarto de século sem nada de meu. E cansada como uma velha coroca...

Eu sou um pé no saco? Desculpem, mas se estiverem achando ruim, podem mudar de site. Hoje este post vai ser só isso mesmo.

Estou com fome agora. Queria uma coisa bem gostosa pra comer, mas infelizmente quem cuida da comida nessa casa sou eu, e não estou com clima de cozinha hoje... Até porque fiz jantar ontem e o Capitão não quis comer quando chegou. Ah, o Capitão!... Muito chato ele anda. Parece que esqueceu com quem se casou e quer inventar moda. Depois de 10 anos de namoro e 7 de casamento, não é possível que agora eu tenha que mudar radicalmente para ele gostar de mim...

Olha, chega, que morrer de inanição era só o que me faltava agora!...


2 comentários:

Luciana Amâncio disse...

Eiê... sem querer te mandar pra cozinha... Aprenda a fazer um cardápio com soja porque eu não tô comendo carne! rsrsrs VOU TE VISITAR!!! JUROOOOO...

Contabilidades de anos e planos sempre parecem chatas... é a Vida!

Amo tu...!

De volta às leituras do Veleiro, viu????

xêros.

mar disse...

ia colocar umas coisas aqui... mas vou deixar pra falar com minha "voz", olha aí, num é que dessa vez fiquei com medo de ser mal interpreta! bj