sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

E PENSAR QUE EU QUASE ME DANEI...


É uma pena - talvez um alívio, em certas ocasiões - que nem todas as pessoas citadas no Veleiro leiam este blog. Porque olhe, veja só, pelo menos eu não precisaria repetir: pessoa, não me peça para tomar contar daquilo que é seu, porque se eu topar fazer isso pode ter certeza de que você não vai gostar nem um pouco... Afinal de contas, porque Deus fez com que certas criaturas sejam tão irritantemente inocentes nesta vida, hein???

Ultimamente estou iniciando o Veleiro com comentários confusos e difíceis de serem entendidos. O culpado é o Orkut...

O rodízio de Neonatologia na maternidade Bandeira Filho é um chute diário nos ovários. A maioria dos pediatras não está interessada na sua presença, o que contribui para aumentar o sentimento de "Não sou ninguém, sou apenas uma doutoranda...". Já estou cansada de passar as manhãs assistindo "Mais Você"!

Talvez a razão de eu estar tendo sonhos tão legais e tão mentirosos nas últimas noites seja a vontade de mandar essa rotina para o espaço...

Na verdade eu já ficaria meio feliz se pudesse ser a esposa que o Capitão sonha. Não sei porque Deus me fez assim, digamos, diferente das outras pessoas (apesar de ter feito perguntas que levam a crer nisso, o Veleiro não está querendo dizer que Deus errou um pouco ao distribuir as personalidades...). Porque se eu gostasse das coisas que as pessoas normais gostam - e com a intensidade que elas gostam - o Capitão seria um marido feliz, e eu também, por conseqüência.

(Estou tentando abrir uma página super interessante e a Internet discada não quer colaborar...)

Tudo é muuuuito complicado nessa vida. Até amar alguém. Tem que ser do jeito de todo mundo. Tem que gostar das mesmas coisas que todo mundo. Se não você fica com a consciência desse tamanho...

Enfim, era bom o tempo em que nesse Veleiro se podia contar tudo...

No carnaval fui a Boa Viagem e fiquei numa barraca onde havia um italiano servindo as mesas. Coincidentemente, o cara era médico, pediatra e ia começar uma especialização no IMIP (o que ele estava fazendo trabalhando na praia? Passando o tempo, oras...). Conversou bastante comigo (bastante é exagero, porque nem ele falava bem português e eu não entendo quase nada de italiano...) e me deu o site, login e senha do hospital onde ele trabalha lá na Itália. Era essa a página que eu tentava abrir aqui na Net, quase desisti...

Voltando ao assunto, o site é realmente muitíssimo interessante, tem diversos artigos sobre assuntos relacionados a Pediatria e discussão de casos clínicos, crônicas sobre assuntos médicos, fotos da Itália... Muito bom mesmo! Dá pra comprovar o quanto o Nordeste do Brasil é atrasado, em todos os sentidos, o quanto as nossas universidades não estimulam o raciocínio dos alunos (ao contrário, nos mandam pra maternidades onde nossa presença nem sequer é bem-vinda, só pra dizer que têm internato...), dá pra perceber o quanto os hospitais nordestinos são pobres de recursos humanos e materiais para combater as mazelas da infância. Sabe o que o italiano médico-vendedor-de-praia veio fazer no IMIP? Aprender a tratar lombriga, doença do rato, desidratação, porque essas coisas não existem na Itália!!! Ter no Recife especializações médicas para tratar disso não pode ser motivo de orgulho para ninguém!!! É uma falta de absurdo...

No Brasil, o jeito é "Salve-se quem puder e o último que sair apague a luz"!

E pensar que eu passei todo esse tempo
Investindo no meu "know how"
E pensar que eu quase me danei
Apostando no meu "background"

Ando jururu
I don't know what to do
Quero encontrar pelo caminho
Um cogumelo de zebu
E descansar os meus olhos no pasto,
Descarregar esse mundo das costas,
Eu só quero fazer parte do "backing vocals"
E cantar o tempo todo "shoobedoodaudau"
(Rita Lee - Ando jururu)



3 comentários:

mar disse...

concordando mesmo q o inicio esta confuso. bom final de semana pra vc! (e eu acho que as não tem gente normal ou mais normal, cada um é diferente e só!) bj

Luciana Amâncio disse...

pera! pera! pera!

tudo bem que no Brasil tem lombriga... mas a Itália é no sobrecú da Europa (o cú propriamente dito é o Leste europeu...).
ôuxi...

tô virando NACIONALISTA!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Luciana Amâncio disse...

pera! pera! pera!

tudo bem que no Brasil tem lombriga... mas a Itália é no sobrecú da Europa (o cú propriamente dito é o Leste europeu...).
ôuxi...

tô virando NACIONALISTA!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk