terça-feira, 28 de dezembro de 2010

DE VOLTA À ROTINA...

Olá, povo! Como foram de Natal?

Estou no hospital, de plantão, só sairei amanhã às 7 horas, e por enquanto as coisas estão calmas, deu até para ligar o computador e visitar meu Veleiro...

Neste ano eu e marido resolvemos fazer a ceia lá em casa, encomendamos as comidas (ó-b-v-i-o que nenhum de nós estava com disposição para enfrentar o fogão com Lulu a todo vapor) e convidamos minha mãe, o pai dele, irmão, irmãs, cunhado, cunhada e sobrinhos. Digamos que a família não é assim das maaaais animadas, entretanto fizemos o possível para tornar a noite agradável. Lulu pegou no sono antes das 19h, só acordou no final com o barulho dos priminhos pimentinhas, talvez no próximo ano ela valorize mais essa história de Natal. Enfim, foi legal, mas eu esqueci de tirar fotos (só eu mesmo)...

Boa mesmo foi nossa viagem a Natal, no Rio Grande do Norte. Terra muito boa, uma capital tranquila, muuuuito diferente desse furdunço onde eu vivo. Sério, Recife está um horror, um trânsito terrível (fiquei traumatizada depois do meu acidente, não peguei mais no carro...), um mundaréu de gente, um calor insuportável... Eu me mudaria para Natal sem nem pensar, marido é sargento da Aeronáutica e poderia pedir transferência para lá e eu faria prova de Residência na UFRN, numa boa. Isso se não houvesse minha mãe, porque se eu tirar Lulu de perto acho que ela tem um troço. Bom, sonhar é de graça...

Voltando à viagem, vivemos dias de tranquilidade, harmonia conjugal, pais voltados exclusivamente para o bem-estar da filha, um paraíso. Lulu deve ter adorado, o pai e a mãe com ela durante as 24h do dia, tudo o que ela poderia querer! Marido tão disposto a deixar rusguinhas de lado e lembrar do amor que existia no dia do nosso casamento, eu abarrotada de paciência, uma beleza! As fotos estão aí para provar nossa alegria. Viajar com a família é tudo de bom. Infelizmente, entretanto, dura pouco...

Então, como não tinha outro jeito, voltamos. E desde que chegamos em casa tudo retornou ao normal. Já tivemos mais uma queda de energia no nosso apartamento (a fiação elétrica do apartamento onde eu moro está toda errada, vive faltando energia e o dono não toma nenhuma providência...), descobri que tem um rato na minha cozinha (odeio morar no térreo!!!), marido voltou a sair de casa de manhã para trabalhar e chegar só à noite, porque aparecem zilhões de coisas para ele fazer depois do serviço, eu fico chateada, reclamo, acabo falando demais, a gente termina brigando, enfim, tudo exatamente como era antes. E hoje eu tô 24h de plantão, longe de Lulu. A viagem não podia durar para sempre?

Fotos, para eu me lembrar o quanto fui feliz... :)





terça-feira, 14 de dezembro de 2010

PROMESSINHAS DE ANO NOVO!

Eu tô devendo demais as visitas aos blogs de vocês, amigas virtuais: PROMETO passar nos blogs de todas hoje à noite, logo depois que Lulu, a Mecana Bagunça (kkkkkkk), cair no sono. =) É que férias de um emprego na vida de uma mãe que trabalha em dois acaba sendo um breve suspiro na rotina, nem sequer dá pra descansar o que se precisa de verdade. Ana Luiza também não está dando muita trégua, ficou gripada por esses dias, e bebê gripado é um tormento! Mas enfim, depois de dar plantão por duas noites seguidas como a única médica disponível no hospital inteiro (ufa!), parece que hoje terei um tempinho...

Semana que vem eu, marido e rebento faremos nossa primeira viagem juntos (primeira também do casal, porque desde a lua-de-mel não sobrava dinheiro tempo para viajar). Tá bom que é aqui pertinho, iremos a Natal-RN, 40 minutos de avião, mas não deixa de ser um lugar novo. Tá bom que também não poderemos aproveitar os passeios de bugre nas dunas - porque essa é uma diversão imprópria para pessoinhas de 9 meses - mas ainda assim estou empolgada com meus míseros 4 dias longe de casa, respirando novos ares. Sofri nestes últimos dias tentando encontrar bermudas, blusas e biquínis que coubessem nesse excesso de pneus que acharam de brotar na minha cintura e em todo o resto do corpo, pra bem dizer só comprei um ou dois itens. Então a auto-estima foi lá pra baixo...

Daí lembrei que estamos no final do ano e esse é um tempo extremamente propício para promessas e decisões capazes de mudar nossas vidas! E já prometi essas mesmas coisas um zilhão de vezes, aqui mesmo no Veleiro, mas mesmo assim vou prometê-las novamente na esperança de dessa vez conseguir cumpri-las! Assim, em 2011 eu prometo...
  • REZAR MAIS
  • VOLTAR A ESTUDAR
  • EMAGRECEEEEER!!!
Me afastei das obrigações com minha religião porque as atividades da Igreja acabaram me sufocando por um tempo. Antes de Lulu nascer eu tocava teclado nas missas até 3 vezes num só final de semana, e todos os feriados e dias santos. Marido toca violão e na maioria das vezes me acompanhava na empreitada. Quando fiquei grávida decidi parar um pouco pra cuidar de mim, e foi muito bom, porque passei a ter mais tempo pra descansar e fazer outras coisas no sábado e domingo. Entretanto, hoje eu sinto que fiquei muito longe de Deus durante esse tempo, conversei menos com Ele, tentei resolver meus problemas sozinha e até duvidei que adiantasse alguma coisa rezar. Andei comprovando por esses dias que quanto mais distante se está de Deus, mais fácil fica para cair em tentação e deixar que o mal, nas suas mais variadas formas, nos atinja. Então a primeira coisa que eu prometo fazer em 2011 é rezar mais, ler mais a Bíblia (por sinal comprei uma nova para mim, com uma linguagem mais moderna do que a que eu tinha em casa), procurar entender qual é o plano de Deus para a minha vida e a da minha família. E esse é o meu projeto de Ano Novo mais importante!

Voltar a estudar, vocês sabem, foi uma das coisas que eu mais tentei e menos consegui em 2010. Mas tá bom, Ana Luiza nasceu em março, e bebês novinhos ocupam todo o espaço na rotina de uma mãe de primeira viagem. 2011, porém, é outro ano, Lulu está sim destruindo a casa mas já consegue fazer isso sozinha, sem a minha ajuda, de modo que eu posso ficar de longe, monitorando suas atividades enquanto leio meus livros e coloco meu cérebro para funcionar de novo. Desde que não haja nada perigoso por perto, ela pode pintar o sete que a bagunça eu arrumo depois.

E emagrecer, claro, o desafio de toda mulher, principalmente depois de um bebê. Comprei um livro sobre reeducação alimentar (minha irmã nutricionista já desistiu de mim e não quer mais me receitar dietas...) e prometo lutar bravamente contra essa minha vontade ENLOUQUECIDA de comer delícias calóricas regadas a coca-cola. Serei a melhor amiga das frutas! A rainha do doce saudável! Te cuida, Spórtacus! (Ah, o adorável mundo materno e seus desenhos animados!...)

Tá bom, né? Porque prometer fazer exercícios, peraí, assim já é demais!!!




Ana Luiza e eu curtindo a decoração de Natal totalmente nordestina dos shoppings centers (neve, muita neve...)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

LULU DORMIU...OPA, JÁ ACORDOU!

Lulu engatinha, segura no braço do sofá, fica de pé, anda em volta do sofá segurando até chegar ao outro lado. Já, já tá andando! Por isso que eu não quis armar árvore de Natal!
Tô de férias de um dos dois empregos! IUPIII! Menos tempo fora de casa! =D
Tenho que pensar na festa de 1 ano e nem sei preparar festas...
Êita, peraí que a minha cabritinha acordou!
Nem dá pra escrever direito aqui! =P

terça-feira, 23 de novembro de 2010

PADECENDO NO PARAÍSO E BLÁ-BLÁ-BLÁ...

Sei que é clichê começar qualquer post dizendo que ser mãe é difícil. Queiram me desculpar os leitores, mas hoje isso é inevitável. Desde a última quarta-feira - dia do meu acidente - parece que a minha vida está de cabeça pra baixo, tem toda a burocracia do seguro, eu sem saber se o dinheiro que sobrará da indenização vai ser suficiente para dar entrada num outro carro, o risco de passar um bom tempo de ônibus outra vez, porque boa parte do meu salário está indo embora com as prestações do apartamento... Como tudo isso parecia pouco, na quinta-feira Lulu me apareceu com uma febre súbita, sem qualquer outro sintoma, e caiu de cama. Domingo, batizado marcado (demorei tanto pra conseguir conciliar o meu horário com o dos padrinhos dela, ambos médicos...), aquele bolinho básico para comemorar, e Lulu amanhece toda pintadinha de rosa, sem querer conversa com Seu Ninguém. Diagnóstico: uma virose exantemática qualquer, daquelas que se trata com antitérmicos e paciência. Resultado: fora o fato de Lulu ter recebido um sacramento e se tornado filha de Deus, o resto do batizado foi um fiasco.

Só pra constar, agora ela está ótchima! Apenas um pouco magrinha, mas já voltou a destruir a casa, como é de praxe. Passo eu então a pensar na burocracia do seguro, e acabo tendo que faltar alguns turnos de trabalho no posto para resolver as pendências. Não deixei nenhum paciente esperando, remarquei todos, avisei a todo mundo, enfim, fiz o certo (pelo menos eu acho). Acontece que oficialmente eu sou funcionária da prefeitura e devo satisfações aos superiores da Atenção Básica à Saúde do município. Estes partem do princípio de que todo médico é mercenário, quer ganhar dinheiro e não cumpre suas obrigações, então resolvem questionar as minhas faltas como se eu estivesse inventando desculpas para não ir trabalhar, e cobram que eu apresente "declarações de comparecimento", inclusive do Batalhão da Polícia Rodoviária, ao qual fui hoje. Então eu - a vítima - passo a ter que provar que sofri um acidente e estou resolvendo as broncas. Se alguém concorda que isso não está certo, por favor, levante a mão.

Não se avexem os leitores, o post é longo mas tem sentido. Pois bem, vou ter que ir novamente ao Batalhão da Polícia na próxima segunda, porque eles só entregam o BO depois de 7 dias da solicitação, e eu preciso desse documento para enviar à seguradora. Para não levar falta nem prejudicar o atendimento aos idosos, que é feito nas segundas pela manhã, eu combinei com os outros funcionários do posto que irei atender na sexta-feira (minha folga), assim ninguém fica triste. Fui falar pra minha mãe, porque Ana Luiza fica com ela: mamãe faz cara feia e diz "Aí é fogo, Marcella, eu já tinha combinado de ir ao centro da cidade fazer compras!". Agora vejam: eu pedi pra ela ficar com Lulu porque eu iria à praia me divertir? Por acaso estou achando maravilhoso ter que ir trabalhar na minha folga por conta da intransigência dos meus supervisores? Mamãe não admite que eu contrate alguém para ajudá-la com Ana Luiza, mas também não quer abrir mão de nada se eu tiver alguma coisa pra resolver fora do horário já estabelecido. Então é para eu parar de trabalhar e cuidar da minha própria filha, sem dar trabalho a ninguém? Alguém sabe a solução?

Daí voltamos ao ponto da dificuldade de ser mãe. É obrigação da mãe modificar seus planos, adiar projetos e anular uma parte da sua vida para dedicar-se aos filhos, e quem achar o contrário é uma mulher terrível, abominável. Assim pensam a minha própria mãe (que teve de largar faculdade e emprego para cuidar de mim) e o meu digníssimo esposo (que disse ter se decepcionado com o meu comportamento durante a gravidez apenas porque eu não passei os 9 meses suspirando com sapatinhos de bebê...). Então ele acha super natural traçar metas para o próximo ano, planejar entrar numa pós-graduação e tal, mas eu não posso pensar em nada parecido, porque existe um bebê e é meu dever abrir mão de tudo para ficar com ele. Então eu não posso querer ir ao show de Roupa Nova na próxima sexta à noite porque mamãe só fica com Ana Luiza se eu for trabalhar, não se eu for me divertir (aliás, depois de virar mãe a mulher só tem o direito de se divertir com os desenhos do Discovery Kids). E aí quando Ana Luiza tiver lá seus 3, 4 aninhos e adquirir maturidade e independência, virá outro bebê e começará tudo de novo.

Ainda bem que pelo menos eu tenho o Veleiro e minha Coca-cola de 2 litros...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

ACIDENTE

Ontem eu voltava para casa feliz, ouvindo meu CD de Padre Fábio de Melo, pensando em coisas boas para esquecer o trânsito maluco, desorganizado e cheio de motoristas mal educados que enfrento todos os dias pelas ruas do Recife. Aí apareceu um motorista de ônibus que resolveu frear repentinamente, e havia um caminhão-cegonha, daqueles que carregam carros novos na carroceria, no lado esquerdo da pista. Eu e minha vasta experiência de direção achamos que puxar o carro para a esquerda seria uma boa solução: não foi. O caminhão arrastou meu carro e eu rodopiei na pista, batendo de frente contra a mureta de proteção de um viaduto em construção. Fim da viagem para mim.

Não aconteceu abolutamente nada comigo. Fora um galo na cabeça e dores pelo corpo, fisicamente eu tô legal. Meu carro, ao contrário, foi perda total. O guincho da seguradora levou-o para casa e amanhã irá para a oficina, conferir o estrago, mas provavelmente meu golzinho vermelho, comprado com tanto sacrifício e escolhido a dedo, morreu. E por isso, mentalmente falando, eu não tô legal.

No fundo a gente sabe que é uma besteira. Carro é só bem material, paga-se seguro justamente pensando nessas coisas, e depois de concluído o processo - que pode até ser longo - eles darão outro carro pra mim. Mas quando eu fui comprar o meu primeiro carro, com o salário do meu primeiro emprego, não achei que 9 meses depois ele iria acabar assim. Fiz tanta questão de um carro vermelho (marido queria preto), coloquei todos os acessórios que existiam (marido também achou desnecessário), me esforcei para aprender a dirigi-lo (e estava tão feliz por ter conseguido), e agora o que eu vejo pela janela do quarto é uma carcaça irreconhecível. Eu sei que eu tô bem e que apenas isso é importante. Mas por enquanto meu coração ainda tá bem triste...

E foi isso.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ENFRENTANDO OS 8 MESES

Muuuuito tempo longe, e a culpa é de Lulu. Sim, aquela cabrita anda tomando todas as minhas forças! No final do dia, depois de trabalhar, pegar um trânsito louco e encarar a disposição de Ana Luiza para inventar brincadeiras, confesso, estou tão arrasada que nem penso em ligar o computador! Meu Veleiro, coitadinho, anda a ver navios...

Mas hoje estou tentando ficar acordada para fazer um jantar especial para marido. Ou melhor, vamos falar a verdade: estou tentando me manter acordada para pedir um jantar especial quando marido chegar. Só me faltava cozinhar, não é? Além do mais, não tenho a menor prática na cozinha, então pedir comida é o ideal, embora não seja tão romântico... Enfim, marido só chega lás pras 22h, tô aqui caindo de sono, mas nossa relação precisa urgentemente de um momento de casal. Um bebê muda tudo, acho que boa parte das leitoras sabe disso. Nesses últimos 8 meses parece que só existe Ana Luiza na nossa vida, só assistimos a canais infantis na TV, só saímos para locais que sejam adaptados a crianças, quando ela dorme só temos condições de nos arrastarmos até a cama e dormir também. Como nós dois trabalhamos o dia inteiro e todos os dias, Lulu já percebeu que o final de semana é o momento em que precisa aproveitar a presença dos pais, e então dá um jeito de ocupar cada minuto do nosso dia. E como aquela bebê tem a capacidade de preencher espaços! Nossa! =)

Uma vez li no blog da Fabi, Aprendendo a ser mãe, que alguns casamentos não são à prova de filhos. O jantar especial de hoje é uma tentativa de que o meu casamento não faça parte dessa estatística. Mas Lulu adivinhou e resolveu não querer ir para o berço. Está aqui toda enroscadinha em mim e talvez acabe estragando meus planos. Aliás, Ana Luiza está impossível, e eu sei que é apenas uma fase, mas já estou quase enlouquecendo! =) Ela fica em pé com apoio e agora inventou de querer ficar em pé sozinha, só não percebeu que seus ossinhos ainda não estão preparados para tanto, então POF!, cai de de bumbum no chão. E isso acontece em todos os minutos em que está acordada! UFA!

Ser mãe cansa muuuuito. Tô muuuuito cansada. Chega logo, marido, senão eu vou dormir de verdade...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

LULU, A TAGARELA

Mêsversário da Lulu (será que é assim que se escreve? 2 acentos na mesma palavra? Ficou estranho...),  8 meses de beleza (apesar daquela hérnia umbilical enoooorme), fofurice e esperteza. Mãe é tudo igual, mas me digam se dá pra resistir a esse falatório todo! =D

video

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TÁ TUDO BEM E EU TÔ FELIZ!


Tá tudo bem, eu tô feliz

Take your time and live you life

Everything is on its way

And it's ok, tá tudo bem!

I'm so glad, nobody's sad

Venha ser feliz também!


(Um momentinho de felicidade na vida, já que tudo está indo tão bem, Lulu tem saúde, marido voltou a ser bonzinho, eu consigo dirigir meu próprio carro, recebi o dinheiro das férias, vixi! Se melhorar estraga! rsrsrsrs) =)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

LUTO

Eu tinha escrito um milhão de coisas - que agora vejo não terem importância nenhuma - mas mudei tudo quando vi a notícia que Jesus levou o Théo pra morar com Ele. Duvido muito que alguém dessas blogosfera não saiba quem ele é, e estou muito triste pra explicar a sua história. Como médica, não posso dizer que não esperava por esse desfecho diante da doença que o afligia, mas é muuuuuuito, infinitamente triste saber que a medicina perdeu mais uma batalha, e uma mãe perdeu a alegria de viver. É por saber que eu não tenho estrutura emocional para suportar essas coisas que me pergunto todos os dias se a Pediatria é mesmo o caminho certo para mim...

Repito o que a Aline, mãe do Théo, disse: ele agora não tem dor nem sofrimento. E Jesus cuidará do resto. E essa história só me fez lembrar o quanto sou abençoada por ter minha filhinha com saúde, por mais trabalho que ela me dê. Obrigada, meu Deus.

Minhas sinceras orações à família do Théo. Tudo vai ficar bem.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

SER OU NÃO SER?

Sabem aqueles momentos da vida em que você não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Tô vivendo um desses... O ano tá acabando (já tem vitrine de Natal nas lojas!...) e eu estou cheia de projetos para 2011, mas não consigo escolher um deles para tentar pôr em prática. Porque estou gostando bastante dessa história de ser mãe, mas ainda existem outras coisas que me fazem feliz (além do sorrisinho banguelo de Lulu), e eu queria respirar ares "não-maternos" no ano que vem. E quem sabe, ares "não-médicos" também...

Acho que a escolha de uma profissão não deve limitar a construção do conhecimento. Explico: eu escolhi que a medicina pagaria minhas contas, mas isso não me impede de querer aprender uma porção de outros assuntos que não tenham nada a ver com a saúde (ou a doença) alheia. Eu passo o dia e a noite escutando as lamentações dos pacientes, e mesmo que goste de ajudá-los a resolver suas queixas, vocês hão de convir que é muuuuito chato ouvir problema dos outros all day. "Meu filho tá com febre", "Minha filha tá vomitando", "Apareceu um caroço debaixo do sovaco", e blá, blá, blá. Aí eu queria, sei lá, fazer um curso, talvez até outra faculdade, de outra coisa, literatura, poesia, enfim, algum lugar onde as pessoas não quisessem me chamar de "doutora" e nem me pedissem uma receitinha azul qualquer...

Isso tudo porque aquela história da Residência foi por água abaixo mesmo. Muito trabalho e pouco dinheiro, muito tempo longe de Lulu e pouco tempo para mim. Aí me veio a idéia de sair do Posto, porque não é o que eu gosto de fazer, embora seja um dinheiro fácil de ganhar. Mas essa história de dinheiro é complicada, se eu saio de lá tenho que pegar uns plantõezinhos a mais no hospital, e sempre vai ser à noite, ou no sábado ou no domingo. E aí tem a questão que ninguém merece trabalhar no final de semana, e nesse aspecto o Posto sai na frente, porque funciona apenas de segunda à sexta, e sexta é minha folga. Aí tem a outra parte, não seria melhor continuar no Posto e sair do plantão do sábado à noite pra ficar só no da sexta de dia, podendo assim dormir sempre em casa e curtir o final de semana com a família?

Mas quanto tempo mais eu consigo aguentar nessa vida de pegar 3 conduções pra ir e 3 pra voltar, neste calor infernal que faz no Recife?

Ai, Jisuis...

E Lulu neste exato momento dorme o sono dos justos, depois de passar a tarde inteira pulando, batendo palma, dando tchau pra tudo que se mexe (incluindo folhas de árvore e o rabo do meu cachorro, Téo), enfim, curtindo a vida, sem ter questões existenciais para pensar. Ser criança é uma beleza mesmo, hein?

Até a próxima!


sábado, 16 de outubro de 2010

AS APARÊNCIAS ENGANAM E A ESTRÉIA DO "LULUMÓVEL"!

Fui comprar um lanchinho na padaria em frente ao hospital para tornar o plantão da sexta-feira menos trabalhoso. Faço isso toda semana, a vendedora já me conhece. Acontece que ontem fui com o jaleco pendurado no braço, então ela perguntou: "Você é enfermeira?". Respondi: "Não, sou médica". Aí ela fez um olhar de espanto, virou pra outra balconista e disse: "É médica... Tão simples... Nem parece...".

PAUSA. "Tão simples" no contexto quer dizer "Tão derrubada que nem parece médica"? Teria sido meu cabelo sem escova (cadê o tempo de ir a um salão?), minha sandália rasteira (porque a mulher que passa a noite indo e voltando ao berço para acalmar bebê não consegue manter um salto no dia seguinte), minhas roupas folgadas (não é nem por causa dos pneuzinhos na cintura, é pelo bem estar mesmo...), ou será que a rotina trabalho-família sem descanso está realmente acabando com a minha aparência? De qualquer forma, aquele "nem parece ser médica" não soou como um elogio pra mim (embora a coitada da balconista quisesse que fosse)...

RESUMINDO: ou os médicos daquele hospital não compram lanche na padaria ou eu tenho cara de pobre mesmo...

******************

Lulu agora engatinha. Do jeito dela, um pouco desajeitada, mas já consegue ir sozinha de um canto a outro, ampliar seus horizontes. E eu achando que meu sossego tinha ido embora...


video


terça-feira, 12 de outubro de 2010

JÁ ACABOU, FERIADÃO?

Ana Luiza inaugurou seus 7 meses com uma novidade: não dorme mais a noite toda. BUÁÁÁÁ!!! Mimatem!

No auge do meu cansaço físico, trabalhando que nem uma louca pra ver se consigo sair do Posto no ano que vem (difícil...), vem Lulu e inventa de ter pesadelos (bebês têm pesadelos?), acordar gritando, não dormir de novo e só sossegar quando é colocada na minha cama. Estou dormindo quase-nada todas as noites e isso é P-É-S-S-I-M-O!

Mas pelo que li nos blogs alheios, deve estar havendo uma epidemia de revolta nos bebês, todos sem querer dormir e as pobres mães se vendo obrigadas a desobedecer o mandamento "Não colocarás seu filho para dormir na mesma cama que você", sob pena de passarem a madrugada em claro. Será alguma conjunção astral?

Estou insuportavelmente gripada, com o nariz mega entupido, praticamente bebendo esses descongestionantes de farmácia (pessoas, não exagerem nos descongestionantes, eles diminuem muuuuito o olfato e o paladar, não é legal, não façam como eu...) e não vendo resultado. E o feriado, tão bonzinho que foi, já acabou. Amanhã vou pro Posto outra vez. Quero tanto sair daquele posto, ô, meu Deus...

Lulu já tá gritando outra vez. Essa noite promete de novo...

Posso só sentar e chorar?

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

ANIVERSÁRIO!

Meu dia, meu aniversário, meus 28 anos de vida! Sou que nem criança no dia do aniversário, quero fazer tudo que gosto, comemoro mesmo, não é um dia qualquer! E esse é meu primeiro aniversário com salário, viva! =D

Me dei um grande presente hoje: fui à praia com Lulu e minha mãe, aproveitar o sol que já está brilhando forte no nordeste. Mas o presente mesmo foi esse: fui de carro, dirigindo, sozinha. Têm noção do que isso significa? Lembram do meu medo de dirigir? Pois bem, fiz 6 aulas de trânsito na auto-escola, mas ainda não tinha coragem de pegar o carro e enfrentar aquelas avenidas cheias de automóveis, ônibus, caminhões, bicicletas desorientadas, e por aí vai. Aliás, nem com o instrutor a coisa estava andando direito... Ontem tive minhas 2 últimas aulas e saí arrasada. A coordenação entre embreagem, freio e acelerador não funcionou e o carro da auto-escola foi castigado por mim (tadinho...). Fiquei tão triste que decidi que não podia continuar assim. Hoje de manhã pedi para Amilson ir ao trabalho de moto e deixar o carro comigo (fiz isso no piloto automático, porque se pensasse muito a coragem ia embora), logo depois arrumei Lulu, coloquei ela na cadeirinha e disse a mim mesma: "Vai!". E eu fui!

Peguei o trânsito das 8 e meia em duas das avenidas mais movimentadas do Recife. Passei por engarrafamentos, ciclistas sem noção, fiquei atrás de caminhões, ESTACIONEI (ô coisinha difícil!), e consegui ir à praia, parar num restaurante para almoçar na volta e chegar em casa sem bater o carro, capotar ou atropelar algum pedestre desavisado (a gente tem muitos medos absurdos quando começa a dirigir...). Fiquei muito orgulhosa de mim mesma, e embora ainda não me arrisque a dirigir em certos lugares sem faixa e cheios de desvios mal assombrados (como o caminho para o posto de saúde, por exemplo), e também nem tente fazer baliza ou estacionar de ré (falta muuuito para isso...), o dia de hoje foi muito importante para colocar na minha cabeça que eu sou capaz de pegar meu próprio carro e me deslocar se for preciso. Foi o melhor presente de aniversário que eu poderia ter me dado!

Lulu, alheia a toda essa epopéia que acontecia na vida da mãe dela, apenas tratou de aproveitar o passeio e brincou como nunca. Parece que enfim ela percebeu que praia é uma coisa boa, um lugar legal, porque das outras vezes ela não tinha achado assim tãããão divertido... Foi um aniversário muito bom esse de 2010! =)

Até a próxima!




Ei, eu não bebo! Essa cervejinha aí é da minha mãe! rsrsrs

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

DESCULPA AÍ, GENTE!


Eu tenho que pedir muuuitas desculpas porque não tô passando no blog de ninguém. Gente, não deixem de ser minhas amigas por causa disso! O tempo que eu consigo ficar acordada é pra tentar estudar! Até o Veleiro está abandonado!
Ganhei um bocado de selinho e ainda não fui buscar! Desculpem por isso também! Não sou uma má pessoa, sou só uma pessoa sem tempo!
Meu aniversário é na próxima quarta! Vou me dar de presente um dia inteiro em casa, sem trabalhar, então lerei blogs e escreverei no meu!
Por favor, perdoem! Ai, como eu queria que o dia tivesse um milhão de horas!!!

domingo, 19 de setembro de 2010

DOMINGO...

Domingão em casa, sem sair pra canto nenhum, só eu e Lulu (papai teve que trabalhar. Nem tudo é perfeito...). Trabalhei muuuuuito na sexta-feira (talvez o pior plantão de 24h da minha vida!), mas pelo menos folguei o final de semana inteiro, algo que há muito tempo não acontecia. Lulu tá com um febrão danado, tomou as vacinas de 6 meses ontem e teve reação, passou a noite e a manhã chatinha, chorona e com quase 39º de temperatura... Depois do antitérmico conseguiu dormir e até acordou melhor, mas continua querendo somente o colo da mãe. Isso tornou o dia mais gostoso (PAUSA: claro que não estou feliz por minha bebê ter febre, mas o momento dengo mútuo foi legal!).

Preguiçar, cuidar da casa, assistir TV com Lulu no colo: ai, como eu queria poder fazer isso todo dia!... =)


domingo, 12 de setembro de 2010

A PRIMEIRA GRIPE DA VIDA

E a gripe pegou Lulu, pela primeira vez na vida, trazendo consigo aquele narizinho entupido chaaaato... Pobrezinha da minha bebê. As últimas noites têm sido bem complicadas, Lulu não consegue dormir porque o nariz está congestionado, não consegue chupar a chupeta porque precisa respirar pela boca, chora, chora, chora... Na madrugada dá mesmo é vontade de correr pra Emergência e gritar "SOCORRO! CHAMEM UM MÉDICOOOO!!!". =D

Esta noite ela dormiu até melhorzinha. Ontem foi aniversário do papai, passamos o dia num clube de campo, cheio de árvores e bichinhos. Lulu adorou, distribuiu sorrisos, esqueceu a coceira do nariz, exceto quando mamãe limpava a coriza com uma fraldinha... Conseguiu dormir no berço, mesmo febril, acordou só para tomar um leitinho e receber carinho (sim, eu dou manha à minha bebê, posso?). Eu havia trocado meus plantões do sábado por causa do aniversário de Amilson, o que acabou sendo ótimo porque permitiu que eu passasse o dia e a noite grudada na minha filhinha dodói. Vou trabalhar neste domingo à noite, Amilson vai ficar com Lulu, mas acho que ela já estará bem.

Minha chefe no hospital ofereceu a alternativa de eu assumir o plantão da sexta-feira, das 7h às 19h, e continuar no sábado à noite. Dessa forma eu poderia voltar pra casa na sexta, dormir com Ana Luiza e passar o dia do sábado com ela e o pai, saindo só à noite (quando em geral ela já está dormindo) e voltando logo no domingo de manhã. Resolvi fazer essa nova experiência, já que na sexta é minha folga do Posto. Além do mais, o normal do ser humano é trabalhar de segunda à sexta e folgar no fim de semana. Espero que seja menos traumático...

Meu real objetivo é pagar a maioria absoluta dos meus débitos até o final do ano, para que em fevereiro de 2011 eu consiga pedir exoneração do Posto e ficar só com os plantões. Trabalhar menos, ganhar menos, mas ficar mais tempo com Lulu no seu 2º ano de vida, quando as descobertas são inumeráveis. Isso me permitiria estar menos cansada à noite e conseguir estudar (ainda pretendo fazer Residência um dia...), pelo menos teoricamente... Por isso, embora doa muuuuito, tenho que continuar trabalhando esse tantão para juntar o dinheiro necessário e saldar as dívidas. Vou colando os caquinhos do meu coração e seguindo em frente (ô bicho dramático é mãe...).

Obrigada às minhas novas leitoras, sejam bem-vindas e voltem sempre! Adoro o Veleiro e estou gostando cada vez mais de conhecer gente nova! E Juliana e Carol, agradeço pelos selinhos! Postarei em breve!

Por último, fotos da Lulu gulosa comendo laranja. Só não come pedra porque ainda não tem dentes... :) Beijão a todas!




sexta-feira, 3 de setembro de 2010

PORQUE TALVEZ LUGAR DE MÃE SEJA MESMO EM CASA...

Comecei a dar plantão de 24h no sábado porque as coisas apertaram e o salário ficou curto demais. Na verdade antes da minha formatura eu e Amilson vivíamos na pindaíba tínhamos muuuuitas dificuldades financeiras, morávamos num apartamento péssimo, com uma vizinhança igualmente péssima, andávamos de ônibus (bem, pra ser sincera eu ainda ando, MAS ISSO VAI MUDAR EM BREVE!!!) e comprávamos só o estritamente necessário. Quando me formei tudo mudou, porque todo mundo precisa de médico e emprego sempre aparece (não é um emprego com "E" maiúsculo, mas paga bem!). Acontece que a que vos tecla quis ter tudo o que sonhava de uma só vez, e endividou-se pra valer. Além do mais, quem tem filhos sabe o quanto essas criaturinhas gastam. É um poço sem fundo!

Pois bem, trabalhar 4 dias na semana, manhã e tarde, onde Judas perdeu as botas, e temporariamente dar plantão 24h no sábado pareceram ser opções razoáveis para estabilizar as contas. Marido concordou, tudo em perfeita ordem. Aí veio esse bendito coração de mãe mudar todo o rumo da história...

Descobri que minha cabeça sempre esteve psicologicamente preparada para ficar o dia inteiro longe de Lulu, desde que isso fosse de segunda a quinta, conforme combinado previamente. Não haveria espaço para trabalho no final de semana, sexta, sábado e domingo seriam os dias em que eu e ela poderíamos matar as saudades uma da outra, e eu poderia brincar de mãe, em vez de brincar de médica. E não só minha cabeça pensava assim, como também a cabeça de Lulu. Então no primeiro sábado em que eu saí às 6 e meia da manhã Lulu ficou me olhando como se dissesse: "Mamãe, você não vai ficar comigo hoje?". E isso quebrou meu coração em mil pedacinhos. Amilson passou o dia com ela e a levou à casa da minha mãe, para distrair. E eu fiquei o sábado inteirinho com uma sensação horrível...

No último sábado Lulu chorou e quis ficar no meu braço o tempo todo, sem deixar que eu trocasse de roupa para trabalhar. E ficou chorando no carro quando foi me levar ao hospital. Aí eu cheguei no plantão e disse à minha chefe que não vou mais trabalhar 24h, vou ficar só com o meu plantãozinho da noite e danem-se as dívidas, pago como puder. E ela riu. Falou que ficou grávida durante a Residência e que a filha dela passava o dia com a avó, mas depois de adulta fez terapia e preencheu esse "vazio". Só que eu não quero pagar terapia para Lulu quando ela tiver 15 anos para tentar construir algo que deve ser construído na infância. Quero não!

Muito dura essa vida de mulher que precisa sempre escolher entre carreira e família. Talvez a história da mulher querer sair de casa e trabalhar fora não tenha sido assim tããão boa. Porque eu sempre quis ser médica, gosto muito de estudar e ajudar pessoas doentes, mas o que eu queria mesmo nesse momento da minha vida era ficar em casa e cuidar de Lulu. Nem na sexta-feira eu consigo fazer isso integralmente, porque sempre tem alguma coisa pra resolver, alguma conta para pagar no banco, esse bendito tratamento dentário que fui obrigada a fazer porque a dor de dente já estava me deixando louca... Lulu hoje nem quis passear olhando o mundo, ficou chorando e só se calou quando virei o carrinho e a deixei olhando pra mim. Parecia que ela estava com medo de que eu fugisse. E dormiu abraçada comigo na cama, brincando com os dedos da mão. Nem precisou cantar... Tá completando 6 meses de vida hoje, virando uma mocinha de verdade, e parece que aprendendo a sentir minha falta. E eu descobrindo que a única parte da minha vida que tem importância é quando estou ao lado dela...

Mas tenho que trabalhar ainda durante todo o mês de setembro porque já me comprometi com as outras médicas, só em outubro volto à rotina de antes. É uma pena que o salário de Amilson não dê pra segurar as pontas, porque eu acho que se pudesse também sairia daquele posto de saúde - que é um total atraso de vida - e ficaria só no plantão (para não esquecer os anos que passei na faculdade). Infelizmente, amor de mãe não paga a fatura do cartão...

Mulheres que puderam largar seus empregos e viraram mães em tempo integral: vocês é que são felizes!








quinta-feira, 26 de agosto de 2010

MINHA ESTRELINHA DO CÉU...

Este post é mais para mostrar a última foto de Lulu, minha coisa fofa. Não estou muito bem. Em outros tempos escreveria aqui todos os detalhes das minhas aflições, mas o alcance da web acaba expondo demais nossa vida pessoal. Lamentável...

Só digo uma coisa: casamento não é nem de longe um conto de fadas, mas eu acho que deveria ser. Porque a gente casa no maior amor do mundo, as coisas não deveriam ir desmoronando aos poucos como num castelo de cartas. Sabem quando se faz tudo certinho, segue a cartilha, pensa "Não é possível que eu não esteja agradando", e no final descobre que errou do começo ao fim? Que nada do que você faz agrada e até mesmo suas preocupações com o bem estar do outro o incomodam? Sabem aquela velha (e horrorosa) frase: "Você está me sufocando"? Pois é..

Ainda bem que Deus me deu Lulu...



Um novo jeito de tomar banho! rsrsrs

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

9 COISAS QUE VOCÊ NÃO SABE SOBRE MIM!

Como prometido, o selinho que ganhei da Vivian e da Juliana:

A regra é dizer 9 coisas sobre mim. Lá vai:

  • Sou ruiva natural! =D
  • Meu maior sonho sempre foi ser médica. Fiz vestibular 5 vezes e me formei numa universidade pública!
  • Queria ter filhos só depois de uns anos de formada, mas Lulu resolveu se apressar. Agora quero ter mais 2 (daqui a  muuuuito tempo)! huahuahua
  • Tenho medo de dirigir (mas isso vai mudar em breve!)...
  • Estudei música durante 8 anos. Toco violão, teclado e flauta doce, mas a medicina cortou meu barato...
  • Casei com meu primeiro namorado, depois de 10 anos de namoro!
  • Sou louca para conhecer Paris e tirar foto na frente da Torre Eiffel!
  • Ainda estou aprendendo os truques de ser mãe e me enrolo muuuito nessa área!
  • Com a ajuda de Deus já consegui realizar quase todos os meus sonhos de infância! =D
Acho que todo mundo deveria pegar esse selo e dizer coisas interessantes sobre si mesma! É divertido!

Agora, as atualizações. Estou me esforçando à beça para acompanhar as aulas da pós, mas, como eu já previa, o buraco é mais embaixo. De maneira geral assisto às 2 primeiras aulas e acabo dormindo nas 2 últimas... O trabalho no posto está beirando o caos, estou ansiosíssima pela volta da minha enfermeira para tentar melhorar um pouquinho a minha situação. Lulu, essa está cada dia mais ativa, minha mãe deve estar colocando uma latinha de Red Bull no leite dela, não há outra explicação para tanta adrenalina circulando naquelas artérias de bebê! Descobriu a tomada, o fio do telefone, o computador, enfim, TUDO o que não é para ela mexer. Depois que viu o quanto é "fácil" sentar, já passou para a fase 2 e está se pendurando no berço para ficar em pé. Acho que vou ficar louca antes de ela completar 1 ano...

Por fim, foto familiar, do Cine Paterna. Se não fosse Lulu querendo chorar, teria ficado tudo tão bonitinho... =) Até a próxima!


segunda-feira, 16 de agosto de 2010

SELINHOS, NOVIDADES E LULU (CLARO!)

Perdão, leitores! Pode não parecer, mas minhas ausências são justificáveis! Não vou ficar aqui repetindo o óbvio: rotina apertada, tempo escasso, blog um tanto abandonado. Mas farei ao menos atualizações semanais! Prometo, juro, garanto!

Queria então agradecer a Juliana, que me indicou para receber esse lindo (e engraçadíssimo) selinho:


Primeiro vamos responder à pergunta do selinho: PRA QUEM OU EM QUE SITUAÇÃO VOCÊ TERIA PRAZER EM OLHAR COM OLHOS DE GARFIELD? Ai, ai, ai, tem que pensar direitinho para responder isso... Se fosse há uns tempos atrás eu teria uma loooonga lista de desafetos pessoas pouco chegadas, mas agora sou uma mulher serena e calma, que não deseja mal a ninguém (huahuahua). Não, mentira, tem uma pessoa ainda: a vizinha da minha mãe (minha ex-vizinha, portanto...). Que mulher enxerida! E ainda vem dizer que eu sou metida porque sou médica! Ah, troféu Garfield para ela! =P

Minhas 5 indicadas: 
Mirella - Mamãe Polvo
Kelly - Bebê Piccolo

Ganhei um outro selinho da Vivian e também da Juliana. É super bonito, mas tem que escrever um post só pra ele! Juroooo que venho aqui nessa semana ainda só para colocá-lo, ok? :)

A novidade é que vou fazer minha especialização em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da USP! Descobri por acaso, navegando em busca de material para estudo, que o Núcleo de Ensino da USP tem um curso de especialização em Pediatria que dura 2 anos e pode ser feito tanto em aulas presenciais quanto pela internet. Ao final de 2 anos o aluno deve apresentar um trabalho de conclusão de curso no auditório da faculdade e recebe o certificado de Especialista em Pediatria, podendo fazer a prova para obter o Título de Especialista, que equivale à Residência! É exatamente o que eu precisava! Posso continuar trabalhando e ganhando meu dinheiro para pagar as dívidas e não ser presa, não terei que me afastar em tempo integral de Lulu porque as aulas são transmitidas ao vivo pela internet, e ainda conseguirei o certificado de uma das melhores universidades do país! Tá bom, é pago, custa caro, mas é por uma boa causa. Vou voltar a estudar e ser uma pediatra de verdade! Fiquei tão feliz! =)

Tem mais: o curso já começou e as inscrições só poderiam ser feitas até o dia 15. Esse é mais um motivo para eu acreditar que foi Deus quem me mostrou esse site!

Peguei mais um plantão no hospital onde trabalho, pela necessidade de pagar as inúmeras despesas que a compra do meu apartamento me trouxe. A parte boa é que o salário vai dobrar; a parte difícil é que ficarei 24h sem ver Lulu. Isso mesmo, 24h de plantão, das 7h do sábado às 7h do domingo, todas as semanas... Já pensei e repensei um quasilhão de vezes, mas infelizmente estou precisando muuuito desse dinheirinho extra. Ainda mais agora, que tenho 24 parcelas da especialização para pagar! Ai, que uma mãe sofre!

Pra terminar, uma foto da minha fofucha em mais um salto no seu desenvolvimento neuropsicomotor. Ela tá quase sentando, gentche! =D

Beijão!



segunda-feira, 9 de agosto de 2010

NOTÍCIAS DO FINDI

O final de semana já acabou? Meu Deus, o que aconteceu com o tempo? Está correndo mais depressa? Porque nunca dá para terminar as coisas que tenho pra fazer, isso não é normal! Também minha cabeça está um fuim, não consigo me lembrar onde ponho as coisas, não consigo cumprir as atividades que programo na agenda, tenho um sono doentio só comparável àquele do início da gravidez (lembram?). Ai, Jesus!

Teve CinePaterna no sábado, fomos eu, Lulu e o Capitão, mas aquela lá não quis saber de cinema. Muuuuito parado, totalmente sem graça ficar mais de uma hora sentadinha no colo observando as imagens. A maioria dos bebês se comportou, mas dona Lulu me fez passear por toda a sala de exibição, dormiu, acordou, chorou, tomou leite, fez xixi, fez cocô, brincou com a menininha da poltrona da frente, enfim, fez TUDO menos assistir ao filme. Papai assistiu, mamãe não se lembra nem do nome...

Sábado à noite fui dar meu plantão e ela passou a primeira noite sozinha com papai desde que chorou pela primeira vez. Uma beleza! Como não tem nem peito para ela sentir falta, foi como se eu não existisse. Sei não, viu...

E Dia dos Pais no domingo, uma folia na casa do avô, brincou com os primos, voltou para casa tão suja que parecia uma filhote de porquinho, com grude pra todo lado (kkkkkkkk). Não ligo não, sou adepta do "Se sujar faz bem". Tem água em casa pra quê, não é mesmo?

Essa Lulu tá crescendo rápido demais...


Papai ganhando presente (quase que Lulu não larga a caixa...)

Tá gargalhando que é uma beleza essa menina! rsrsrs

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

BANHO DE BALDE!

Tentei muuuuitíssimo dar esse banho quando Lulu era pequenininha e cabia no balde, mas ela era uma bebê chorona e O-D-I-A-V-A banho seja lá onde fosse. Agora não. Agora Lulu é uma moça, esbanjando maturidade do alto de seus 5 meses, e concordou em tomar banho espremidinha no balde porque já estava em cima da hora da mamãe sair para trabalhar e ela tinha feito um litro de xixi.

Seria isso fome???

Ei, Lulu!


Gostou, não foi? =)

terça-feira, 3 de agosto de 2010

5 MESES!

Eu sou, sem sombra de dúvida, uma pessoa diurna. Lulu - passadas as primeiras semanas de vida - mostrou também ser, o que pra mim é um graaaande alívio (xô, noites em claro!). Mas a rotina de mãe-médica-dona-de-casa exige uma invasão da madrugada, porque os pacientes precisam de uma médica que estude para diagnosticar seus casos, Lulu precisa de uma mãe disposta para inventar brincadeiras e minha casa precisa de uma mulher corajosa para não deixá-la virar um chiqueiro. Então cá estou eu, quase 2 da matina, lendo artigos, depois de varrer chão, lavar pratos e estender roupas...

Lulu passou uma semana inteirinha com diarréia, algumas vezes com sangue. Foi justamente o sangue que me deixou umm tantinho preocupada, mas há vantagens em ser médica, uma delas é poder contar com amigos de diversas especialidades, bastando apenas um telefonema. Conversei então com um pediatra do melhor hospital infantil de Pernambuco e ele aventou a possibillidade de Lulu ter uma intolerência não só à lactose, mas também a outras coisinhas com as quais ela está começando a ter contato agora. Recomendou que eu marcasse consulta com uma gastropediatra para melhor investigação. Era só o que faltava... A diarréia passou, o estado geral dela continua muuuuito bom, Lulu pula, grita, ri, rola, uma saúde de ferro. Mas vou lá conversar com a gastropediatra, muito boa por sinal, melhor prevenir do que remediar. Espero que não seja nada, porque era só o que faltava mesmo...

Hoje Lulu completa 5 meses! Puxa, que tempo para voar! E ela está enooooorme, compridona, com as roupas ficando cada vez mais curtas, nem parece aquela recém-nascida amassada e chorooona que eu trouxe da maternidade pra casa. A hora do banho então, quanta diferença! Quem antes fazia o maior escândalo do mundo agora bate as perninhas com uma felicidade imensa por estar dentro d'água, e molha a mamãe todinha (ossos do ofício...). Muito bom ter Lulu em casa, muito bom poder vê-la crescer e descobrir aos poucos que tem mãos, que tem pés, que pode mexê-los, que pode ir de um lado pro outro sozinha, uma graça! Ser mãe nos faz lembrar o tempo em que éramos felizes com coisas pequenas. E hoje estou muito feliz com a minha coisinha pequena que eu amo tanto!

Colocarei fotos novas assim que pegar minha máquina com mamãe! Até a próxima!

domingo, 25 de julho de 2010

AH, ESSES DENTINHOS!...

Tô morrendo de preguiça de escrever qualquer coisa. Lulu passou o final de semana inteirinho choramingando, querendo braço, enjoando do braço, querendo de novo... A temperatura subiu um pouquinho, não chegou a ser febre, mas o suficiente para estressar a ela, a mim e ao pai. Agora dormiu um pouco, não sei até que horas, duvido que passe a noite inteira num soninho tranquilo. E amanhã a mamãe aqui vai ouvir as lamentações dos pacientes do posto atender no consultório, independente do que a filhinha fizer durante a madrugada... Acho que são os dentinhos, ela anda coçando demais aquelas gengivas, teve diarréia, apesar de não ter nenhuma aparência de infecção intestinal. Acho que é o fim daquele sorrisinho banguelo...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

SÓ UMA PASSADINHA RÁPIDA!

Seguindo os conselhos, eu parei e respirei. E a vontade de sumir transformou-se em vontade de fugir para Paris meio que acalmou. De fato, quero muuuuuuito fazer minha residência mas ainda não é a hora. Agora é a hora de Lulu, e minha vida extra-maternidade tem que esperar um pouquinho. Não quero ficar com a sensação de ter perdido essa fase tão gostosinha em que ela está, conhecendo o mundo e as pessoas ao redor dela. A Residência é uma escravidão consome um bocado da vida do médico, e aí como vai ficar a carreira de mãe? Definitivamente não suportaria passar o resto da vida naquele posto de saúde, mas acho que ainda aguento alguns aninhos... =)
 
No último sábado eu dei 24h de plantão, e no meio da manhã me deu uma vontade louca de ligar para minha irmã e saber como estava Lulu. 30 segundos de conversa e escuto um choro desesperado: era Lulu, que tinha caído da cama com a cabeça direto no chão. Minha irmã quase morre! E eu tive que fazer consulta de emergência para minha própria filha pelo telefone!
  • Primeiro: nada de grave. A cama da minha irmã é bem baixinha, Lulu chorou mais do susto. E a conduta em quedas é essa: observar a criança. Se ela desmaiar ou vomitar, levar imediatamente ao hospital para fazer exames. Não precisa forçar a criança a ficar acordada, depois do susto é normal que ela queira dormir um pouquinho. É só ter calma que tudo fica bem.
  • Lulu não desmaiou, não vomitou e às 2 da tarde já estava brincando serelepe com o pai. Mas claaaro que por via das dúvidas pedi para Amilson levá-a no hospital. A médica de plantão era eu mesmo... rsrsrs
  • Nada de brigar com irmã. Mellina é a pessoa mais cuidadosa do mundo, ironia do destino a primeira queda de Lulu acontecer justamente com ela. Eu sou muito mais descuidada, se não fosse o anjo da guarda da minha filha talvez a coisa já tivesse ficado braba. E criança é fogo, ainda mais a inquieta da Lulu!
  • Liguei bem na hora da queda. Mãe sente mesmo as coisas, viu?
No dia seguinte, eu acabada do plantão, querendo cama, e Lulu querendo dengo. Fomos dormir eu e ela. Afff que uma mãe sofre!... =D


 

quinta-feira, 15 de julho de 2010

MIMATEM EM TÓPICOS

  • Ana Luiza segue firme e forte na sua etapa de alimentação complementar. Porque em relação à fome, ela certamente puxou ao pai, não tem tempo ruim. Minha mãe está se esbaldando em preparar suco de frutas, legumes cozidos, caldo de feijão... Se pudesse ela comeria até o pratinho! Melhor pra mim, dessa vez as latas de leite vão render...
  • Já usou o penico 2 vezes. Eu sei, é muito nova para fazer treinamento esfincteriano, mas vai falar isso pra minha mãe! Ela se orgulha de dizer que eu mal usava fraldas, porque ela já conhecia meus horários e me colocava no troninho na horinha certa, era de se esperar que repetisse a loucura com Lulu. O pior é que Lulu faz realmente umas caretinhas características quando quer fazer o nambertchú, então dá até tempo de tirar a fralda e pôr no penico. Mas continuo achando que é doidice...
  • O seu próximo desafio é aprender a engatinhar. Coloco ela na cama de barriga pra cima e ela vira de bruços, olha pra mim e começa a mexer as perninhas, procurando um impulso que ainda não tem. Aí cai com a cara na cama, depois levanta a cabeça, faz uns barulhinhos bem altos como se dissesse "EU CONSEGO!!!" e começa tudo de novo. Conseguir, de fato, ainda não conseguiu, mas não tenho dúvidas de que ela só vai descansar quando chegar lá! =)
**********************************************************************************
  • Depois da sessão "Proezas de Lulu", a sessão "Lamentações de Marcella" (claro, tava demorando para esse Veleiro ouvir minhas lamentações...). Dessa vez é só uma vontade incontrolável de pegar um avião e sumir pelo mundo por tempo indeterminado, acompanhada apenas de Lulu e de marido que neste momento ronca aqui do meu lado. Eu queria sair daquele Posto de Saúde porque não é exatamente essa área da medicina que me deixa feliz, queria mesmo era fazer minha Residência em Pediatria e cuidar apenas das crianças barulhentas bonitinhas do mundo. Na minha cabeça a sequência seria essa, faculdade-formatura-residência-filhos, mas Lulu resolveu vir antes e bagunçar um pouquinho. Agora não tenho condições físicas e mentais de estudar para a prova depois de 8 horas de trabalho, 2 horas de trajeto de ônibus (uma para ir, outra para voltar) e alguns minutos de brincadeiras com filhota pós-serviço. Só que eu não vou ter NUNCA disposição para isso, não acham? Eu também...
  • Então tinha decidido adiar a Residência até Lulu ficar maiorzinha e eu poder colocá-la na escola, para ter um tempinho livre e estudar. Mas não posso evitar aquele vazio dentro de mim (tá bom, eu sou besta mesmo...), sensação de algo não cumprido, entendem? É como se o sonho ficasse incompleto. Porque Lulu foi uma das melhores coisas que já me aconteceram, mas ser mãe nunca foi assim um sonho, sonho mesmo era ser médica, e médica pediatra. Aí vou para o meu Posto de Saúde quase no fim do mundo um tantinho distante e sei lá, não fico totalmente satisfeita. E isso me deixa meio agoniada...
  • Pra completar não sei bulhufas de quase nada. Como é que consegui terminar a faculdade? Tem coisas óbvias que todo médico deveria saber e que eu fico gaguejando na hora de falar. A gota d'água foi hoje a Agente Comunitária de Saúde (nível fundamental...) me corrigir sobre uma conduta que eu tinha dado a um paciente. O pior é que ela tinha razão, e eu é que estava fazendo besteira! E antes que tentem me consolar, esse não é um quadro resultante da maternidade e da minha cabeça ocupada com rotinas de bebês, surgiu há anos e só vem piorando. Será que meu HD pifou?
  • Posso largar tudo e virar dona-de-casa, mas não sei cozinhar, não faço uma boa faxina e não sou muito paciente com as atividades domésticas...
  • E não dirijo, essa sim, a minha grande frustração! Tirei carteira há 5 anos e não consigo sair com o meu próprio carro! O que é fácil para os outros parece tarefa impossível para mim! Por favor, mimatem!
Melhor fazer que nem Amilson, virar para o lado e roncar. Amanhã tem serviço outra vez, e plantão de 24h no próximo sábado... Ai, Jesus...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O MAIOR POST DE TODOS OS TEMPOS!

Graças ao mundo virtual estou cheia de coisinhas gostosas para fazer pra Lulu! Ela já experimentou suco de laranja (aprovado!), banana (fez careta, mas depois mandou pra dentro!), mamão e maçã (adorou maçã, virou a fruta preferida dos 4 meses! rsrsrs). Hoje mamãe deu feijão amassado com batatinha e chuchu, e parece que ela também gostou dessas coisas. Ao menos minha filha não é tão chata para comer quanto eu fui um dia...

O soninho dela também voltou ao normal, depois das madrugadas de estresse pós-fim-da-licença-maternidade. Voltamos àquele santo horário de dormir entre 7 e 8 da noite e acordar somente depois das 5 da manhã. Foi bom porque ela está bem mais carinhosa comigo (antes o xodó maior era com o pai), só quer dormir no meu braço, estamos aproveitando cada minuto em que podemos estar juntas. Posso dizer que é verdade: existe vida após o retorno ao trabalho! =)

Recebi um selinho da Mirella, do Mamãe Polvo, muito interessante, e vai ser o assunto deste post!


 E aí vão as respostas!

Qual é o seu nome?
Marcella Nathaly Albuquerque Simões

Onde você mora?
Em Recife - PE

Quantos anos você tem e quando faz aniversário?
Tenho 27 anos e faço aniversário em 29 de setembro

Qual sua altura e qual número você calça?
Essa é a parte chata (rsrsrs...). Tenho só 1,58m e calço 37

Estado civil? Tem filhos?
Sou casada há 3 anos e tenho uma filha, Ana Luiza, a Lulu!

Qual sua camida favorita?
Pizza de frango com catupiry! hummmm

Qual sua bebida favorita?
Coca-cola, Ó-B-V-I-O!

Como você se autodefine?
Êita! Uma pessoa pacífica (às vezes até demais!), um tantinho impaciente mas ainda assim legal.

Qual o seu sonho?
Paris. Aquela cidade é meu sonho! Quero morar lá para sempre viajar para lá algum dia!

Qual seu pior defeito?
Sem sombra de dúvida a falta de paciência com o mundo, as pessoas e os defeitos alheios...

Trabalha atualmente em quê?
Sou escrava médica 4 dias  e 1 noite por semana, e mãe nas 24h do dia...

Faz faculdade ou algum curso?
De novo??? Tá doido?? Quero só fazer minha Residência, assim que Lulu me deixar estudar para a prova...

Tem algum bichinho de estimação? Qual o seu nome?
Tenho um cachorrinho de 11 anos chamado Téo, que atualmente mora na casa da minha mãe.

Qual sua banda, dupla ou cantor favorito?
Sei lá. Tenho nenhum não. Não sendo funk, sertanejo e rebolation, tô ouvindo!

Filme ou ator favorito?
Um lugar chamado Notting Hill, que eu assisto quase toda semana...

Tem saudades de algo ou alguém?
Meu papai, que morreu em 13 de julho de 2007.

Fato que mais marcou sua vida.
Só pode ser um? Vou escolher 3: o dia que saiu o listão do vestibular com o meu nome, depois de 5 anos de tentativas frustradas; o dia do meu casamento, depois de 10 anos de namoro; o dia em que fiz o exame da urina e descobri que Lulu estava no forninho (eu e Amilson não sabíamos mais o que iríamos fazer a partir dali!).

Tem apelidos?
Até que não, viu?

Com o que você não pode sair de casa sem?
Uma mamadeira com leite e fraldas! kkkkkkkkk

Qual sua marca de maquiagem favorita?
Não uso maquiagem, nem sei passar batom direito!

Onde você costuma comprar roupas?
Se eu gostar, até na Feira da Sulanca!

Pretende se casar um dia?
De novo??? =)

Está apaixonada?
Moro com os 2 amores da minha vida, Lulu e Amilson!

Qual o produto que você não troca de jeito nenhum?
Hã?

Uma dica, truque ou produto que descobriu na internet.
A mamadeira super-ultra-mega avançada de Lulu! rsrsrs

Dois produtos que você quer na área da beleza e ainda não comprou.
Dois peitos firmes. Que foi? Não deixa de ser uma coisa que pode ser comprada! =)

Por que decidiu criar um blog?
Porque gosto de escrever para desabafar e ler depois.

Foto que mais gosta!
Estou de computador novo e sem fotos nele, vou colocar a única que tem aqui. Eu e minha irmã quando eu tinha 3 meses de gravidez.




indicar 10 blogs.
Essa parte eu deixo pra vocês. Muito legal conhecer as blogueiras, então quem quiser pegar e falar um pouco de si, esteja à vontade!

Post muuuuuuuuuuuito longo. Cansei. Beijo!



quarta-feira, 7 de julho de 2010

ALGUÉM SE HABILITA?



O leite sem lactose que Lulu tem que tomar - caso contrário fica com a barriga estufadinha e tem diarréia - está me custando uma pequena fortuna mensal (mães que amamentam: joguem suas mãos para o céu!). A pediatra liberou alimentação complementar desde o mês passado porque eu teria que voltar ao trabalho logo, mas o caso é que Lulu nem sempre está com vontade de comer outra coisa que não seja sua mamadeira de leitinho... Não sou expert na cozinha (ou melhor, sou um zero à esquerda nela!), prefiro comidas semi-prontas, bem mais práticas, mas é óbvio que não pretendo empanturrar minha bebê de produtos industrializados como faço comigo. Então, alguém poderia me dar uma força? Alguém tem "receitas" de papinhas de frutas, suquinhos, essas coisinhas que bebês comem, as quais não tenho a menor idéia de como são feitas? Tô bastante necessitada de um cardápio...

domingo, 4 de julho de 2010

CANSAÇO, TEU NOME É MARCELLA!

Eu achava que a vida tinha ficado complicada depois de virar mãe, mas não contava com o fim da licença maternidade. É a comprovação de que tudo pode piorar!

Tá bom, sem exageros. Voltar a trabalhar foi muito bom para a minha auto-estima, pôs o lado não-mãe do meu cérebro para funcionar de novo, me fez esquecer um pouco essa rotina de fraldas-mamadeiras-refluxo-choro... Mas o cansaço está tão grande, tão grande que a vida virou uma bagunça. Agora mesmo, 13h26min, Lulu tirando um cochilo, barriga com fome de almoço e eu sem um pingo de coragem de fritar um ovo que seja. Dei plantão esta noite, vou trabalhar o dia inteiro amanhã, quando penso nisso já dá vontade de deitar na cama e pegar no sono com fome mesmo. Durante a semana não sei mais o que é jantar, faço um lanche rápido e cama. Graças a Deus que Lulu costuma dormir bem cedinho...

A questão agora é que minha ausência diária na vida dela provocou uma mudança no seu padrão de sono, que estava tão bonitinho, parecia coisa de cinema. Não sei, mas acho que Lulu percebeu que precisa acordar mais cedo para poder aproveitar um tempinho a mais comigo. Resultado, Lulu acesa e esperta às 2 da manhã, às 3, voltando a dormir só lá pras 5 e meia, horário em que eu já tenho que começar a me arrumar para sair. E eu estou virando um zumbi! Se me passassem no liquidificador talvez eu estivesse mais inteira do que agora! Minha Nossa Senhora!

Ontem Lulu completou 4 meses de pura beleza... =D Está tão esperta que não dá para não ficar orgulhosa! Só quer estar em pé, descobrindo o mundo, e eu e o Capitão que a segurem! Escolheu um brinquedo favorito, se interessa por tudo, até pela água caindo da torneira. Só não se interessou pelos jogos da Copa (o que me fez não assistir a nenhum), mas nesse caso ela não perdeu nada...

Os filhos fazem a vida virar de cabeça para baixo de repente, mas isso nem é tão ruim, não é mesmo?... =)

domingo, 27 de junho de 2010

TUDO AO MESMO TEMPO AGORA

A correria pós-volta ao trabalho está tão intensa que é impossível postar alguma coisa por aqui.

Prometo, juro, garanto: eu volto assim que organizar minha vida novamente.

terça-feira, 22 de junho de 2010

ATUALIZANDO...


Não parei um minuto desde que minha vida de trabalhadora recomeçou. Domingo estava cansadíssima, ainda tinha jogo da seleção e Lulu aperreada com tantos fogos de artifício... Ontem cheguei em casa quase à noite, Lulu queria brincar antes de dormir, quando ela pegou no sono eu capotei na cama, nem quis jantar... Hoje cheguei mais tarde ainda, ela já estava sonhando, nem cheguei perto para não acordá-la. Estou aproveitando uma brechinha antes de desmaiar de cansaço novamente para passar por aqui.

O primeiro dia do plantão foi bem fácil. Como Lulu dorme cedo, saí de casa justamente na hora em que ela começava a dormir, sem traumas. Dei plantão sozinha, sem outra pediatra, então deixei a emergência fechada e me concentrei na sala de parto, super tranquila, só 2 normais e 1 cesáreo. Ontem Lulu acordou às 3 e meia da manhã, de modo que deu tempo de dar banho e brincar com ela antes de ir trabalhar. Mas hoje... Ela estava tão cansadinha que só acordou às 6 e meia, e eu tenho que sair nesta hora senão perco a carona do Capitão (e passo a ter que pegar 2 ônibus em vez de um só...), então não deu nem para dar o leitinho dela antes de sair... Lulu abriu um sorriso imenso, daqueles que só os bebês conseguem dar quando acordam, jurando que a gente iria brincar um pouquinho, e eu tive que entregá-la para minha mãe... Tenho certeza de que sofri mais do que ela com isso (quer coisa melhor que avó? Todas as vezes que liguei para mamãe durante o dia ouvi as gargalhadas de Lulu no telefone!), aí começou a bater aquela dorzinha dentro do peito... Mãe é mesmo um bicho besta.

Respirei fundo, botei a cabeça no lugar e raciocinei:
  • Primeiro de tudo: eu não posso ficar sem trabalhar. A vida tá difícil, o Capitão não ganha o suficiente, fiz 2 financiamentos e tenho que pagá-los, senão vou presa.
  • Segundo: amo minha profissão. Trabalho numa comunidade pobre, longe pra dedéu, e lá o pouquinho que eu faço faz uma diferença enorme. Isso leva a autoestima da gente lá pra cima!
  • Por último: mães felizes, filhos felizes, e ninguém é feliz abdicando de seus sonhos. Portanto, eu preciso continuar sendo médica.
Como o São João no Nordeste é uma grande festa, o feriado vai de amanhã (23) até domingo (27). Vou dar 24h de plantão no sábado, mas tenho outros 4 dias para ficar grudada em Lulu. Quando o tempo é contado a gente aprende a valorizá-lo, tenho certeza de que nem as crises de choro dela irão me deixar chateada. No mais eu tô feliz. E é somente isso que importa...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

MAMÃE TEM QUE TRABALHAR...


Volto a trabalhar amanhã, no meu plantão-monstro de sábado à noite. A julgar pela chuva que não cessa de cair nessa cidade, já imagino a quantidade de menino-gripado-precisando-de-nebulização que vai chegar naquele hospital... Pelo menos pode ser que não haja muitos partos (eu pego os bebezinhos assim que eles nascem), porque inexplicavelmente as mulheres não vão à maternidade em dia de chuva. Vai saber...

Lulu vai ficar dormindo na casa da minha mãe aos sábados. Como eu já disse, dormir não é problema para ela, e como não está mais mamando não precisa necessariamente da companhia dos meus peitos minha presença. Não, não quero falar do fim da amamentação de Lulu. Ela nunca pegou o peito direito, tive fissuras dolorosíssimas, não tinha leite suficiente para aquela gulosa, sem falar que o 1º encontro dela com a mamadeira foi paixão à primeira vista. Nada disso seria motivo se eu realmente gostasse desse negócio de dar de mamar, mas a verdade é que - embora eu incentive todas as mães a tentarem dar o peito, por causa dos infinitos benefícios do leite materno - nunca vi fadinhas voando enquanto amamentava, não era um momento prazeroso pra mim e acabou não sendo para Lulu também. Enfim, nos resolvemos com as fórmulas infantis e construímos o bendito vínculo materno com beijinhos e conversas enquanto dou a mamadeira. Simples assim.

Voltar a trabalhar vai ser um gritinho de liberdade que poderei dar. Amo minha Lulu de um jeito que não consigo nem explicar, mas não é porque virei mãe que desisti do primeiro grande sonho da minha vida, ser médica. Gosto de estudar sobre o corpo humano, a-d-o-r-o pegar bebês na sala de parto, todos encolhidinhos, com as carinhas amassadas assim que nascem (cuti-cuti!), gosto de atender meus pacientes do posto de saúde. Quando trabalho sinto que estou no lugar certo. Mas - off course - vou morrer de saudade do choro de Lulu. Nesse ponto é vantagem ficar com a minha mãe, pelo menos ficarei tranquila. No mais eu posso enchê-la de beijinhos quando chegar em casa e fica tudo certo!

Estou tentando não transformar o fim da licença-maternidade num apocalipse, porque sei que o trabalho é necessário para a manutenção da minha sanidade mental, e uma mãe saudável mentalmente é muitíssimo mais benéfica para Lulu do que uma mãe desequilibrada em tempo integral. Mas acho que essa é uma decisão de cada mulher, e admiro aquelas que, nesse mundo competitivo, têm a coragem de assumir a maternidade como seu projeto de vida, doando-se integralmente ao cuidado de seus filhos. As crianças sentem quando suas mães estão felizes, independente dessa felicidade vir do trabalho ou do fato de serem mães. E se o que queremos é a felicidade dos nossos filhos, devemos primeiro descobrir o que nos deixa felizes também! (Confiram o blog da Fabi, essa postagem é ótima sobre o assunto!)

Eu volto pra contar como foi! ;-)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

TODOS JUNTOS, VAMOS...

Tô nem aí pro Brasil nessa Copa! Já gostei muuuuuito de futebol quando tinha lá meus 12 anos e vi o tetra (ai, que velhice...), mas agora tanto faz se o Brasil vai ser hexa ou se vai voltar pra casa na 1ª fase. Entretanto dia de jogo é dia de festa, isso é que é importante! Mesmo com o temporal que cai sobre Recife, mesmo com o resultado pífio diante da Coréia do Norte (um time igualmente pífio...), é a primeira Copa de Lulu (embora ela não faça a menor idéia do que isso signifique...)! então, pra frente Brasil! Salve a Seleção! =D