sexta-feira, 5 de setembro de 2008

...


Vê, hoje eu tô deprê. Aliás, eu já estou deprê faz tempo. E quando fico assim me dá muito sono. É dessas coisas sem explicação. Talvez meu organismo queira me poupar de ficar acordada vendo as dificuldades da vida. Enfim...

Hoje é 5 de setembro e eu só tenho 4 reais na carteira. Já entrei no cheque especial desde o dia 1º. Fiz um acordo com o VISA porque esse negócio de pagar o valor mínimo da fatura é um poço sem fundo, mas por causa do acordo vou ter que pagar por mês mais do que eu poderia. Não tive muita escolha, era isso ou passar mais um ano devendo. No mês passado eu paguei 139 reais e depois dos juros ficou como se eu só tivesse pago 20. Aí realmente não é possível. Faço um esforço danado pra tirar 139 reais do meu orçamento pra no final das contas só diminuir 20 do total da fatura? Faça-me o favor!

Aí vêm as fotos do convite de formatura, e minha turma - formada por pessoas que passam as férias de julho aproveitando o verão europeu (e isso é verdade...) - decide obrigar todos as formandas a comprarem uma blusa preta (simples, de algodão...) para todo mundo sair igualzinho. O detalhe é que no mês passado eu tive que fazer uma bata pelo mesmo motivo, que me custou 35 reais. Essa blusa (que vai ficar por baixo da tal bata) me custou 20 reais. Isso porque eu fiquei com o modelo mais barato... Vejam só, é uma blusa baby look, preta, sem nenhum detalhe. Mas seria bom se parasse por aí. Além disso, teremos que usar uma calça preta de tecido e um sapato fechado preto. Está bom? Então o que faço eu, que há muito tempo não compra uma calça, muito menos preta, e cujo último calçado que comprou foi a sandália branca do casamento? Vou ter que comprar tudo novo? E PAGAR COM O QUÊ????

Uma amiga está encarando a foto como uma oportunidade de comprar roupas novas. Até que seria. Mas, sem querer ficar aqui fazendo drama, é porque não dá mesmo. Já fiz e refiz minhas dívidas de todas as maneiras possíveis: não sei nem como vou fazer no próximo mês. A gente se orgulha de chegar a se formar em medicina sem ter nenhum médico na família, nem de longe, mas é difícil D-E-M-A-I-S quando não se tem dinheiro. Eu realmente estou angustiada com isso. Já chorei, já briguei com o Capitão, agora resolvi descontar na comida. O resultado é que estou comendo feito um bicho. Da forma que está eu saio das dívidas direto para a fila de espera pela cirurgia de obesidade no HC...

Deprimi também porque uma grande amiga minha - daquelas que você acha na vida e não consegue mais se desgrudar - resolveu me cortar de sua lista de amizades. Ela entendeu que eu escolhi tirar a foto com outras pessoas em vez dela. A verdade é que eu ando com essas outras pessoas desde o 1º período, e como não havia possibilidade de juntar as duas turmas, e considerando também que ela tem um outro grupo de amigos com o qual anda desde o 1º período, eu achei, na minha inocência, que não havia mal algum em tirar fotos com as outras pessoas. Eu entendo que a droga da foto do convite é uma foto sem a menor importância. Depois que passar a formatura ninguém vai ficar mostrando seu convite aos outros, vai mostrar é o álbum, e no álbum obviamente teríamos muitas fotos juntas. Convite de casamento, por exemplo. Tem gente que paga fortunas pra que ele fique personalizado, com fotos, cheio de pra-quê-isso. Depois que passa o casamento ninguém guarda essa porcaria não! Eu mesma tenho uma bocado de convites dos meus que está aqui entulhado e sem destino! Eu achei isso, mas ela deve ter achado que foi praticamente uma traição.

Mas vou dizer o que está sendo mais doloroso: em nenhum momento ela veio falar alguma coisa comigo. Olhe, veja só, se duas pessoas são amigas e discordam em algum ponto, espera-se que elas sentem e conversem para aparar qualquer aresta. Todos têm direito à defesa. Mas ela não me deu a menor chance. Simplesmente passou as férias inteiras sem atender minhas ligações nem responder meus recados no Orkut. Uma pessoa que me ligava quase todo dia para contar qualquer novidade! Aí quando acabaram as férias passou a ser totalmente indiferente comigo. Fala, mas como se falasse com qualquer pessoa. Não almoça mais no lugar em que nós almoçávamos antes, não ficou nem um pouco satisfeita em rodar o Opcional comigo, enfim. E uma outra amiga dela, que esteve no Barão quando eu estava, também passou a fingir que não me vê. E eu fiquei no meio perguntando o que danado tinha feito!

Eu perdi uma amiga a quem considerava tanto que convidei para ser minha testemunha no casamento civil. Mas ela achou que a droga da foto do convite valia mais do que isso. E não me venham com a conversa de que amigos assim nem têm tanto valor. É tão difícil pra mim convencer as pessoas de que eu não sou chata, não sou arengueira, não sou mandona, que quando encontro alguém que acredita nisso não quero perder a amizade dessa pessoa. Mas infelizmente eu estava só enganada. Eu não tenho mais pai, só posso mesmo contar com minha mãe, minhas irmãs e meu marido. Porque essas pessoas não me escanteariam sem dar chance para me explicar. Parece que qualquer outra pessoa pode lhe querer muito bem hoje, mas isso pode não ser verdade amanhã...

Estou deprê, o texto ficou longo, lê quem quer, eu escrevo pra mim mesmo...

Um comentário:

Monica disse...

Hummmm...
Qual o número do teu sapato???
rsss
Serve de bico fino?
Eu tenho um aqui... se quiser emprestado!!!!!!

Bjãoooo

PS: Eu sei bem o que vc tá passando... passei por isso na infância e até hoje me dói muito!!!