sexta-feira, 18 de junho de 2010

MAMÃE TEM QUE TRABALHAR...


Volto a trabalhar amanhã, no meu plantão-monstro de sábado à noite. A julgar pela chuva que não cessa de cair nessa cidade, já imagino a quantidade de menino-gripado-precisando-de-nebulização que vai chegar naquele hospital... Pelo menos pode ser que não haja muitos partos (eu pego os bebezinhos assim que eles nascem), porque inexplicavelmente as mulheres não vão à maternidade em dia de chuva. Vai saber...

Lulu vai ficar dormindo na casa da minha mãe aos sábados. Como eu já disse, dormir não é problema para ela, e como não está mais mamando não precisa necessariamente da companhia dos meus peitos minha presença. Não, não quero falar do fim da amamentação de Lulu. Ela nunca pegou o peito direito, tive fissuras dolorosíssimas, não tinha leite suficiente para aquela gulosa, sem falar que o 1º encontro dela com a mamadeira foi paixão à primeira vista. Nada disso seria motivo se eu realmente gostasse desse negócio de dar de mamar, mas a verdade é que - embora eu incentive todas as mães a tentarem dar o peito, por causa dos infinitos benefícios do leite materno - nunca vi fadinhas voando enquanto amamentava, não era um momento prazeroso pra mim e acabou não sendo para Lulu também. Enfim, nos resolvemos com as fórmulas infantis e construímos o bendito vínculo materno com beijinhos e conversas enquanto dou a mamadeira. Simples assim.

Voltar a trabalhar vai ser um gritinho de liberdade que poderei dar. Amo minha Lulu de um jeito que não consigo nem explicar, mas não é porque virei mãe que desisti do primeiro grande sonho da minha vida, ser médica. Gosto de estudar sobre o corpo humano, a-d-o-r-o pegar bebês na sala de parto, todos encolhidinhos, com as carinhas amassadas assim que nascem (cuti-cuti!), gosto de atender meus pacientes do posto de saúde. Quando trabalho sinto que estou no lugar certo. Mas - off course - vou morrer de saudade do choro de Lulu. Nesse ponto é vantagem ficar com a minha mãe, pelo menos ficarei tranquila. No mais eu posso enchê-la de beijinhos quando chegar em casa e fica tudo certo!

Estou tentando não transformar o fim da licença-maternidade num apocalipse, porque sei que o trabalho é necessário para a manutenção da minha sanidade mental, e uma mãe saudável mentalmente é muitíssimo mais benéfica para Lulu do que uma mãe desequilibrada em tempo integral. Mas acho que essa é uma decisão de cada mulher, e admiro aquelas que, nesse mundo competitivo, têm a coragem de assumir a maternidade como seu projeto de vida, doando-se integralmente ao cuidado de seus filhos. As crianças sentem quando suas mães estão felizes, independente dessa felicidade vir do trabalho ou do fato de serem mães. E se o que queremos é a felicidade dos nossos filhos, devemos primeiro descobrir o que nos deixa felizes também! (Confiram o blog da Fabi, essa postagem é ótima sobre o assunto!)

Eu volto pra contar como foi! ;-)

13 comentários:

Daniela Guimarães disse...

Tenha certeza de uma coisa: NÓS SOBREVIVEMOS!
E você está certa, os filhos sabem quando estamos felizes.
No mais, não é a quantidade, mas a quAlidade do tempo que ficamos juntos que faz a diferença.
Beijo e boa sorte.
:-)

Ser mãe é viver constantemente feliz! disse...

Oi Marcella, adoro o que vc escreve, vou te seguir tá? Então, a minha comadre (madrinha do meu filho e eu sou do filho dela). Voltou a trabalhar ontem, nossa, ela está muito triste, o Juan ainda não pegou mamadeira e nem come frutinha....dificil né? Eu não sofri muito pq. fiquei a gravidez toda parada então com 6 meses do meu bebê Rafa eu queria mesmo era trabalhar, chorei como uma doida na primeira semana em duvida se estava fazendo a coisa certa, mas hj sei que fiz, ele fica na escola o dia todo e eu aproveito muito o moemnto que temos juntos, sei que pra minha vida social, profissional e pessoal tbm foi bom voltar para o batente, acho que a gente sofre mais que eles, mas que bom que vc terá outros anjinhos pra ver durante o dia né? bjs e prazer em te conhecer..dá umapassada no meu cantinho tbm...

Fabiana disse...

Um excelente retorno ao seu trabalho, Marcela.

Eu voltei semana passada. Claro que tenho saudades. Mas a volta foi tranquila para mim e para Laura (que tb ficou com a minha mãe).

Você vai ver: qdo estiverem juntas, cada segundo será aproveitado para fortalecer ainda mais o vínculo de vocês.

Bjos.

Mah disse...

Boas voltas ao trabalho,eu tbém a partir de janeiro vou colocar minha pequena na escolinha e voltar a trabalhar,faz bem pra mente e pro corpo,e o bolso do maridão agradece..hehehe
Bjs na princesinha..

Vivian disse...

Isso mesmo, Marcela. Mães felizes, filhos felizes. Concordo!
Boa sorte!
Bjos

Jacke Gense disse...

Marcela... eu sofri tanto quando voltei a trabalhar.. abria o berreiro...rs
Parece que vc está tirando de letra! Isso é ótimo... tem q ser assim mesmo, de que adianta ficar choramingando.. não vai mudar nada com isso.. só piorar as coisas não é?
E lute pelos seus ideias.. eu tbem amava trabalhar, mas com 3 ficou praticamente impossivel.. mas quero voltar um dia.. ano que vem devo voltar estudar, um mestrado possivelmente...e depois maos na massa novamente!

bjs

My Baby Little Spot disse...

Mamãe,
É com enorme satisfação que lhe convidamos a participar do Cantinho do seu bebê

http://mybabylittlespot.blogspot.com/

Ju disse...

ótimo seu post!! Boa sorte na volta ao batente e Lulu vai ficar protegidinha com a sua mãe. vó é vó ! rsrs
beijossssss

Luciana Amâncio disse...

Aaaaaaaaaah... Aninha já é uma mocinha! Vai se virar bem! Muito boa sorte no retorno ao trabalho!!!A propósito: doutora, qué-qui eu faço com meu zuvido???? Tá tapado há anos!!! Desde sexta passada?????... rsrsrsrsrs

Xeros!!!!

Paty Fortunato disse...

Oi querida,

Um exelente retorno ao trabalho.
Imagino q deve difícil deixar sua pequena e ir trabalhar,mais ela vai está em boas mãos,vó é tudo de bom!

Bom Domingo,
Beijocas!

Desconstruindo a Mãe disse...

OI, te encontrei através o A MÃE SOU EU e adorei ver que tem alguém passando pelo mesmo moento que eu, em que voltar ao trabalho (mesmo que eu consiga trabalhar em casa) é uma condição não apenas de obrigação, mas de saúde pra todos.

Mãe que mistura receita de bolo com blog, filho que precisa trocar de fraldas etc. fica meio zureta e impaciente, podendo até estressar as crianças, não é mesmo?

No meu caso, a escola será em meio período e meu pequeno conviverá com crianças da mesma idade, coisa que pouco tem acontecido com o friozão e a pouca gente nas praças por causa disso.

Me sinto feliz que eu não esteja sofrendo, mas transmitindo segurança e felicidade ao meu filhote, assim como foi com a irmã mais velha, que nunca precisoud e adaptação porque o que ela queria era nos mandar embora da escola, hahahaha!

Como cada criança é única, amanhã veremos como será o processo de adaptação...

Beijo, prazer em conhecer!
Ingrid

Fabi da Juju disse...

Oi Ma,

Boa sorte nessa nova jornada querida. Falou tudo, o importante é SER feliz.

Super beijo p vc e p Lulu.
Fabi da Juju.

Chris Ferreira disse...

Oi Marcella,
Que bom que você está tranquila e feliz com o seu retorno ao trabalho. Que bom que a Lulu tem uma mãe feliz. Também admiro as mães qe tem coragem de assumir a maternidade como seu projeto de vida. Vou entrar no blog da Fabi.
Aguardo o post para saber como foi o retorno, se teve muita nebulização, se teve muito parto apesar da chuva.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/