quinta-feira, 18 de novembro de 2010

ACIDENTE

Ontem eu voltava para casa feliz, ouvindo meu CD de Padre Fábio de Melo, pensando em coisas boas para esquecer o trânsito maluco, desorganizado e cheio de motoristas mal educados que enfrento todos os dias pelas ruas do Recife. Aí apareceu um motorista de ônibus que resolveu frear repentinamente, e havia um caminhão-cegonha, daqueles que carregam carros novos na carroceria, no lado esquerdo da pista. Eu e minha vasta experiência de direção achamos que puxar o carro para a esquerda seria uma boa solução: não foi. O caminhão arrastou meu carro e eu rodopiei na pista, batendo de frente contra a mureta de proteção de um viaduto em construção. Fim da viagem para mim.

Não aconteceu abolutamente nada comigo. Fora um galo na cabeça e dores pelo corpo, fisicamente eu tô legal. Meu carro, ao contrário, foi perda total. O guincho da seguradora levou-o para casa e amanhã irá para a oficina, conferir o estrago, mas provavelmente meu golzinho vermelho, comprado com tanto sacrifício e escolhido a dedo, morreu. E por isso, mentalmente falando, eu não tô legal.

No fundo a gente sabe que é uma besteira. Carro é só bem material, paga-se seguro justamente pensando nessas coisas, e depois de concluído o processo - que pode até ser longo - eles darão outro carro pra mim. Mas quando eu fui comprar o meu primeiro carro, com o salário do meu primeiro emprego, não achei que 9 meses depois ele iria acabar assim. Fiz tanta questão de um carro vermelho (marido queria preto), coloquei todos os acessórios que existiam (marido também achou desnecessário), me esforcei para aprender a dirigi-lo (e estava tão feliz por ter conseguido), e agora o que eu vejo pela janela do quarto é uma carcaça irreconhecível. Eu sei que eu tô bem e que apenas isso é importante. Mas por enquanto meu coração ainda tá bem triste...

E foi isso.

7 comentários:

Luciana Cavalcanti disse...

Pense no lado bom: AnaLu não tava dentro do carro, né?!? Ela não iria curtir esperar os bombeiros...

Cristin disse...

Por incrível que pareça, estava comentando ainda a pouco com uma amiga sobre um acidente que sofri.....GRAÇAS A DEUS que estamos aquí para poder contar!!! Não é mesmo? Isto pra mim é um milagre!
Agradeço a Deus por isso!!! Eu sei que é um tremendo choque, demorou um pouquinho pra passar os sentimentos que ficam....mas querida, logo mais vc contará essa experiência com menos peso e menas dor....como aconteceu comigo hoje!
Bj bonita

Carol disse...

Marcella
Eu passei por vc ontem vi seu carro e vc e Amilson,não deu nem pra parar um engarrafamento horrível.
Sinto muito, como vc mesma disse estais bem isso é que importa.

Beijo pra vcs!

Kelly Resende disse...

Poxa, Marcella, que coisa mais chata! Tb já bati meu carro que era novinho na epoca e sei o qto é chato. Mas fazendo o coro: graças a Deus que vc não se machucou!
Abraços

Mônica Dias disse...

Nossaaaaaa! Mulher, que desespero, hein???? É por essas e outras que eu não passo sem seguro tbm! Quem vai trocar o pneu??? rsss
Desejo, de coração, que esteja tudo bem e que o processo seja bem rápido.
Bjsssss

Claudia disse...

Ai amiga, que dificil.
Imagino que vc esteja triste, ainda bem que vc nao se machucou e que a bebe nao estava no carro.
Bjks

http://blogdaclauo.blogspot.com/

ilde disse...

DOU GRAÇAS A DEUS TODOS OS DIAS POR TUDO NÃO TER PASSADO DE UM SUSTO,E TENHO CERTEZA DE QUE DEUS VAI LHE AJUDAR A SUPERAR TUDO ISSO POIS ELE SABE MAIS DO QUE NINGUÉM O QUANTO PRECISAMOS TER VOCÊ POR PERTO.

COM AMOR DE SUA CUNHADA
ILDLAINE
BEIJOS