quarta-feira, 10 de julho de 2013

TEMPO DE PAUSAS

Sempre importante, na vida, fazer pausas. Vivemos correndo, cumprindo obrigações, fazendo o "social", mantendo regras de boa convivência. Cada um acha seu jeito pra suportar as dificuldades diárias, muitas vezes fingindo que elas não nos atingem. Já leram aqueles livrinhos dos anos 90, em que a personagem fazia o "jogo do contente" cada vez que algo não saía conforme o esperado? Pois é... Em certas ocasiões passamos o dia fazendo o "jogo do contente", sem mergulhar profundamente naquilo que nos ofende e, dessa forma, perdendo a oportunidade de cicatrizar as feridas da nossa alma.

Esse Veleiro passou por um momento de pausa. Precisava retornar às primeiras águas, aquelas que não eram lidas por ninguém, mas que verdadeiramente expressavam o que havia no seu interior. Porque nem só de Ana Luiza vive Marcella (embora ela seja parte essencial da minha vida). E este Veleiro não foi criado exclusivamente para a maternidade. 

Senti falta do blog para onde podia correr nas horas em que o coração gritava, sem que fosse preciso escrever uma novidade qualquer dos desafios da maternidade, uma gracinha de Ana Luiza, sei lá, qualquer coisa dita "interessante". Esse espaço, tão único, criador de amizades especiais, tornou-se uma timeline de rede social. Ficou cansativo fazer  "jogo do contente". Foi preciso pausar e começar de novo. Então, o Veleiro está (re-)começando. E o primeiro dia é hoje.

Cortei o antidepressivo - que me fazia viver uma "felicidade eterna", mas superficial - e decidi enfrentar a solidão, que dói há 2 anos, com todos os seus fantasmas. Quando a tristeza bate forte, abro a porta e a deixo ficar o tempo que quiser, para que vá embora naturalmente. Está sendo assim, e dando certo. Até voltei a escrever...

O importante é libertar a alma de pensamentos opressivos, e não fingir que eles não existem. É nesse mar que o Veleiro pretende navegar por agora...

Vamos juntos.

3 comentários:

Kelly Resende disse...

Oi Marcella, tão bom ver vc de volta! Sinto falta dos blogs que são contemporâneos do Bebe Piccolo, tão poucos sobrevivem.
Torcendo para que as coisas melhores por aí.
Beijos

Ju Dalzoto disse...

Vamos juntas!
Gostei, Má! Fiquei feliz em te ter de volta, com seus pensamentos, tb concordo que não é só de filhos que vive uma mãe!

Escreva, amiga, escreva!
Boa sorte nessa nova etapa! As vezes a gente precisa viver toda a tristeza que há para dar lugar às alegrias...

Eu estou contigo!
Beijão
Ju

Claudia disse...

Ah, que saudades de vcs!
Que bom que voltaram.
Sejam super bem vindas :)
Bjks mil