sábado, 26 de maio de 2007

QUANDO A CHUVA PASSAR, QUANDO O TEMPO ABRIR...


Hoje faltam exatamente 2 meses para o meu casamento. Infelizmente, as coisas não estão dando muito certo. Eu sabia que esse período iria ser muito difícil, pensava que teria de pagar Neuro nos últimos meses, mas nunca contei com a doença de papai. Nunca contei que ele estaria tão mal às vésperas de um dos dias mais importantes da minha vida, ao ponto de a gente não saber se ele vai estar lá comigo. E - como se não bastassem os atropelos naturais de uma noiva lisa e atarefada - os dias ainda estão sendo mais difíceis por causa disso.

Hoje, sábado, deveria fazer sol para que as obras da minha futura casa (que por enquanto ainda é como a de Vinícius) não atrasassem ainda mais; ao contrário, choveu muito e ainda chove sem parar. Tenho prova de DIP na terça com 5 assuntos para estudar, sendo que um deles tem somente 67 páginas de um livro com letra Times New Roman tamanho 9 para ler... À tarde eu vou começar (e espero terminar também) a confeccionar minha lista de presentes de casamento na Ferreira Costa, o que deveria ser uma alegria, mas nas atuais CNTP não está funcionando muito... Neste momento, enquanto posto as inutilidades que costumo colocar neste Veleiro, papai está reclamando de dor no quarto. E papai reclamando de dor faz essa leseira de blog perder o sentido, as páginas infinitas de DIP não servirem pra nada e meu casamento virar um sonho difícil...

A doença de papai vai piorando a cada semana. Não houve um só dia desde que voltou pra casa que ele não tenha sentido dor, febre e absoluta falta de disposição. As perspectivas não são boas, e não precisa ser estudante de medicina para entender isso. Desde março que papai não melhora, vamos começar junho na semana que vem. O que poderia me dar a certeza de que em 26 de julho ele estará inteiro, andando, para entrar comigo na Igreja e ainda conseguir passar a noite inteira na cerimônia e recepção?

Confio em Deus, mas sei que todo mundo tem sua hora. E sei que câncer mata. Tenho medo de o médico querer interná-lo novamente na semana que vem. É difícil não possuir plano de sáude para ter acesso a uma rede hospitalar que ao menos dê mais conforto ao paciente e seu acompanhante. De qualquer maneira papai é primariamente atendido por residentes de Urologia no HC, e residente é um médico em treinamento, está aprendendo também. Não que eu ache que a equipe não seja boa, mas eu queria que papai pudesse estar num quarto só pra ele, com um sofázinho pra mamãe se acomodar, que a comida fosse menos ruim e não houvesse buraco no teto, como nos hospitais do SUS. O HC é melhor que o Restauração, não tenho a menor dúvida disso, mas é uma pena que não possamos oferecer a papai uma assistência mais digna dele...

Que graça tem ler DIP se o evento mais importante do ano pra mim pode nem acontecer? Estudar requer muita coisa, inclusive vontade. E estou triste demais pra isso. Há alguns meses não queria pensar na possibilidade de adiar meu casamento, mas hoje, a 2 meses dele, com papai doente, tenho que voltar a essa opção. Alguém tem idéia de como estou me sentindo? Porque nem vou casar se papai não tiver condições de estar lá na Igreja, nem vou ficar feliz se ele estiver lá gemendo de dor como agora. Portanto, não há clima para festejar ultimamente...

É isso.

2 comentários:

Monica disse...

Que barra!
Mas Deus sabe o que faz... confia!!!!!

Bjos!
Estou aqui pra qqr coisa!

mar disse...

tenta ficar tranquila vai ficar td bem